quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Boyhood: Da Infância à Juventude

Boyhood – Da Infância à Juventude (Boyhood, EUA, 2014) – Nota 8
Direção – Richard Linklater
Elenco – Ethan Hawke, Patricia Arquette, Ellar Coltrane, Lorelei Linklater, Libby Villari, Marco Perella, Brad Hawkins.

Mais do que filme, este trabalho de Richard Linklater é uma interessante experiência cinematográfica que demorou doze anos para ser filmada. A ideia inteligente e ao mesmo tempo simples de seguir a vida de uma família durante doze anos, focando principalmente no crescimento e desenvolvimento pessoal do garoto Mason (Ellar Coltrane), rendeu um ótimo filme. 

Tudo começa quando Mason tem seis anos, sua irmã Samantha (Lorelei Linkalert, filha do diretor na vida real) oito e seus pais estão separados há dois anos. As crianças vivem com a mãe (Patricia Arquette) e ficam felizes quando o pai (Ethan Hawke) volta a morar na mesma cidade e passa conviver com eles durante os finais de semana. A história segue por doze anos, até Mason completar dezoito e entrar na universidade. 

Não esperem grandes traumas, dramas ou reviravoltas, o objetivo do roteiro de Linklater é mostrar pequenas situações do dia a dia, como descobertas, frustrações, alegrias e escolhas que pessoas comuns enfrentam todos os dias. 

Não existe uma marcação do tempo, o espectador percebe as mudanças no desenvolvimento das feições e do corpo dos personagens, nos cabelos diferentes, nas roupas e nos coadjuvantes que parecem importantes num certo período e que desaparecem na sequência seguinte. 

Os lapsos de tempo na narrativa podem parecer estranhos, porém a proposta é semelhante ao que acontece na vida real, principalmente nas rápidas mudanças da adolescência. Um grande amigo aos treze anos, pode não ter importância alguma aos quinze, ou uma paixão aos dezesseis, pode durar poucos meses e ser esquecida rapidamente. 

Mesmo com o foco principal no personagem de Ellar Coltrane, as mudanças também são percebidas na irmã interpretada por Lorelei Linklater e nos pais, que passam por outros relacionamentos, acertam, erram e sofrem como pessoas normais. 

Como informação, o processo de filmagem era feito em torno de três ou quatro dias por ano, com as cenas sendo filmadas em sequência e posteriormente montadas em 2014, resultando nesta interessante obra.

4 comentários:

Red Dust disse...

Verificar a evolução física dos actores, ao longo dos anos, vale logo o filme. Mas mais que isso, o realizador conseguiu manter a unidade de ano para ano. Agradou-me muito.

Um abraço!!!

Hugo disse...

Red - Sem dúvida este foi um grande ponto, conseguir manter o nível das interpretações e da história, mesmo filmando aos poucos, ano a ano.

Abraço

Gustavo H. Razera disse...

Tive impressões semelhantes.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - É um ótimo filme.

Abraço