sábado, 6 de janeiro de 2018

It: A Coisa

It: A Coisa (It, EUA / Canadá, 2017) – Nota 8
Direção – Andy Muschietti
Elenco – Jaeden Lieberher, Jeremy Ray Taylor, Sophia Lillis, Finn Wolfhard, Chosen Jacobs, Jack Dylan Grazer, Wyatt Oleff, Bill Skarsgard, Nicholas Hamilton, Jackson Robert Scott.

Derry, 1988. Na pequena cidade algumas crianças desapareceram. Entre elas está Georgie (Jackson Robert Scott), que foi puxado para dentro do esgoto por um sinistro palhaço (Bill Skarsgard). 

Completando um ano do desaparecimento, um grupo de garotos e uma garota tem pesadelos que parecem reais com o palhaço. Bill (Jaeden Lieberher) acredita que o palhaço seja verdadeiro e que seu irmão Georgie esteja vivo. Com ajuda de informações conseguidas por Ben (Jeremy Ray Taylor) sobre desaparecimentos que ocorrem há anos na cidade, Bill convence seus amigos a investigarem o caso. 

Este longa foca na primeira parte de um famoso livro de Stephen King e termina deixando claro que haverá uma sequência. Esta escolha pareceu mais interessante do que a versão produzida para TV em 1990 em formato de minissérie com três horas de duração e que focava no livro inteiro. Na versão antiga, a trama com as crianças também é muito boa e se passa nos anos sessenta, porém a produção peca na segunda parte quando os adultos entram em cena. 

Esta nova versão lembra o estilo de filmes com crianças dos anos oitenta como “Os Goonies”, porém com cenas de terror assustadoras semelhantes ao seriado atual “Stranger Things”. O longa funciona muito bem, tanto pelas cenas citadas e os bons efeitos especiais, como pela química entre o elenco de crianças e o assustador palhaço Pennywise vivido por Bill Skarsgard, tão competente como o interpretado por Tim Curry na minissérie. 

Agora é esperar a sequência. 

4 comentários:

Pedrita disse...

ah, que inveja. ainda não vi. nem vou olhar nada, nota, nada. depois volto aqui. beijos, pedrita

José Gomes disse...

Um dos grandes filmes de terror de 2017, mas eu acho o original ainda melhor.

Amanda Aouad disse...

Também gostei mais dessa opção de separar as partes das crianças com a volta deles adultos. Só espero que a segunda parte mantenha o nível, rs. Além dos efeitos e atmosfera, o filme traz uma espécie de adaptação temática falando do universo dos adolescentes, bullying, assédio, que deixa tudo ainda mais instigante.

bjs

Hugo disse...

Pedrita - É sempre melhor assistir sabendo o mínimo de detalhes possíveis.

José - Também achei que o filme foi um grande acerto.

Amanda - Isso mesmo, o roteiro explora outros temas em meio ao suspense.

Abraço