domingo, 21 de janeiro de 2018

Cores do Destino

Cores do Destino (Upstream Color, EUA, 2013) – Nota 5
Direção – Shane Carruth
Elenco – Amy Seimetz, Shane Carruth, Andrew Sensenig, Thiago Martins.

Um sujeito (Thiago Martins) faz experiências com larvas. Na sequência, ele ataca uma mulher (Amy Seimetz) e a faz engolir uma larva. Numa espécie de transe, a mulher que se chama Kris se torna submissa ao ladrão, que rouba seus pertences e dinheiro. 

Nos dias posteriores, Kris continua sofrendo com estranhas sensações. Ela procura ajuda com um excêntrico criador de porcos (Andrew Sensenig). Aparentemente curada, Kris tenta seguir a vida ao conhecer Jeff (o diretor Shane Carruth), com quem inicia um relacionamento, mas novos fatos e sensações atrapalham sua vida. 

Shane Carruth é um destes malucos que de tempos em tempos aparecem no cinema. Ele é um matemático que abandonou a carreira para se aventurar no cinema. Carruth dirige, escreve, produz, filma e atua, ou seja, ele é o dono do filme. 

Em 2004 ele chamou atenção do cinema independente com a complexa ficção “Primer”, mas estranhamente ficou os nove anos seguintes sem filmar. Na minha opinião, seu retorno neste “Cores do Destino” é uma grande decepção. O que “Primer” tinha de complexo e fazia o espectador ficar grudado nos diálogos malucos, aqui isso se perde na trama cansativa e no ritmo extremamente lento, lembrando muito os últimos filmes de Terrence Malick, aqueles em que ele exagera na “viagem”. 

É uma pena, eu esperava algo bem melhor depois de ter gostado muito de “Primer”.   

3 comentários:

Eryck Silva disse...

Olá, boa tarde! Venho lhe convidar a conhecer o blog “SBT de Carteirinha” https://sbtistadecarteirinha.blogspot.com.br/. Obrigado, aguardo a sua visita e o seu comentário!

Pedrita disse...

eu gostei desse filme mas é desconfortável e vi no pior momento. eu gostei da loucura do filme. mas incomoda realmente http://mataharie007.blogspot.com.br/2015/04/cores-do-destino.html

Hugo disse...

Eryck - Valeu pela visita.

Pedrita - É um filme que incomoda. A realização não me agradou.

Abraço