sábado, 25 de fevereiro de 2012

Fuga de Nova York

Fuga de Nova York (Escape From New York, EUA / Inglaterra, 1981) – Nota 10
Direção – John Carpenter
Elenco – Kurt Russell, Lee Van Cleef, Ernest Borgnine, Donald Pleasence, Isaac Hayes, Harry Dean Stanton, Adrienne Barbeau, Season Hubley, Tom Atkins, Charles Cyphers.

Este é um dos meus filmes favoritos, considero ainda o melhor trabalho da carreira de John Carpenter, que teve seu auge durante dez anos. Entre “Halloween” em 1978 e “Eles Vivem” em 1988, Carpenter fez onze filmes, além dos citados vale lembrar o ótimo “Enigma do Outro Mundo”, “Christine – O Carro Assassino”, “O Príncipe das Sombras” e o criticado porém divertido “Os Aventureiros do Bairro Proibido”. Estes filmes transformaram Carpenter é um diretor cult, já que todos seus trabalhos tinham tramas de filmes B com orçamento baixo e muita criativade, além das sinistras e inconfundíveis trilhas sonoras criadas por ele próprio. 

Em “Fuga de Nova York”, Carpenter consegue reunir todos os detalhes de um filme B e criar um longa que mistura ação e suspense numa história absurda (no melhor sentido da palavra) repleta de personagens carismáticos. A trama se passa em 1997, quando a cidade de Nova York foi transformada em um presídio e isolada completamente pelo rio que cerca a ilha de Manhattan. Todos os bandidos da cidade foram jogados no local numa espécie de prisão perpétua. 

O que parecia ser uma solução contra a criminalidade, se torna um grande problema quando o avião do Presidente Americano (Donald Pleasence) cai na ilha e o chefão do local, Duque (o falecido cantor Isaac Hayes, que fazia também a voz do Chefe em “South Park”) o faz de refém. Para complicar ainda mais a situação, o Presidente carrega uma importane fita que acabaria com um iminente conflito mundial. 

Sem ter como invadir o local para resgatar o Presidente, o chefe de segurança Hauk (Lee Van Cleef) chama um ex-combatente que está preso, Snake Plissken (Kurt Russell) e oferece a liberdade para o sujeito, desde que ele traga o Presidente em menos de 22 horas. O rebelde Snake aceita, mas recebe em seu corpo uma droga para não tentar fugir. Ele terá apenas as 22 horas para voltar com o Presidente e receber o antídoto. Todos estes detalhes surgem em apenas quinze minutos de filme, a partir daí começa a correria de Snake para cumprir a missão. 

Além do grande desempenho de Kurt Russell, outro ponto positivo são os diversos personagens que aparecem na tela. Temos os já citados Lee Van Cleef como o policial durão, o veterano Donald Pleasence como o Presidente e Isaac Hayes como o bandidão Duque. Completando o elenco temos Ernest Borgnine como um taxista no meio de uma Nova York destruída, Harry Dean Stanton como um cientista conhecido como “Cérebro” e sua esposa vivida por Adrienne Barbeau, que na época era casada com o diretor John Carpenter. 

Apesar do baixo orçamento, as cenas de ação são bem legais, como por exemplo o pouso do aeroplano no World Trade Center e a sequência final da perseguição na ponte do Brooklin. 

Um clássico cult absoluto.

7 comentários:

Marcelo keiser disse...

Kurt Russel está muito legal nesse filme. Aquele jeito de canastrão valente que salva o dia. Legal mesmo.

abrço

Victor Ramos (Jerome) disse...

Qualquer filme com a direção de John Carpenter é atestado de coisa inesquecível, para o bem ou para o mal - e em 99% das vezes, para o bem. Maestro!

Injeção Cinéfila

Hugo disse...

Marcelo - É um canastrão extremamente carismático.

Victor - A época de ouro de Carpenter foi na década que citei na postagem.

Abraço

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Hugo já li sobre esse filme diversos artigos e até boas criticas, creio que na extinta revista Set foi onde mais li sobre ele, confesso que mesmo não sendo muito fã dos filmes dos anos 80, tive um interesse em conhecer o mesmo. Não deve ser muito fácil de encontrar para compra mas qualquer coisa vou recorrer aos sites de downloads.. aheaheua,

abração

Hugo disse...

Jefferson - Você deve encontrar em loja de DVDs usados ou mesmo na net.
Também comprava a Revista Set, pena que ela acabou de uma forma complicada.

Abraço

Anônimo disse...

Ao dono do Blog: que me perdoe o colega, mas Nem Carpenter e nem Russell vão fazer um filme espetacular como "O Enigma de outro mundo".
Kurt Russell nunca foi um ator de encher os olhos, mas quem o lançou ainda adolescente foi Walt Disney.
John Carpenter não é um realizador de filmes "b" é um artesão do cinema.
A soma desses 2 é um filme divertido, que virou um clássico.

Hugo disse...

Anônimo - Sei que Russell começou como ator adolescentes em filmes da Disney, mas sua carreira como adulto alavancou na parceria com Carpenter.

Considero "Fuga de Nova York" e "O Enigma de Outro Mundo" filmes sensacionais, os melhores da carreira de Carpenter.

Dar nota 10 para "Fuga" não desmerece a qualidade de "Enigma".

Abraço