sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Bombas - Terror Vagabundo - Anos Oitenta

O sucesso de filmes como "Poltergeist", "A Hora do Pesadelo" e "A Hora do Espanto" abriram caminho para uma explosão na produção de filmes de terror nos anos oitenta, rendendo grandes longas e também muitos filmes ruins.

Neste postagem cito algumas bombas do gênero produzidas na época.


Mutante (Night Shadows, EUA, 1984) – Nota 4
Direção – John Bud Cardos
Elenco – Wings Hauser, Bo Hopkins, Jody Medford, Lee Montgomery.

Dois irmãos em férias (Wings Hauser e Lee Montgomery) chegam a uma pequena cidade e começam a ser atacados por pessoas que agem como zumbis após terem sido contaminadas pela água, em virtude de uma indústria química ter despejado resíduos tóxicos em um rio. 

Este filme de baixo orçamento tem apenas como curiosidade o elenco, que tem Wings Hauser, ator que foi vilão em diversos filmes como “A História de um Soldado” e hoje é mais conhecido como o pai de Cole Hauser e o veterano Bo Hopkins, que trabalhou em filmes famosos como “O Expresso da Meia Noite”. 

O diretor John Bud Cardos é uma espécie de faz tudo no cinema, tendo trabalhado em muitas produções na área técnica e as vezes se aventurando na direção em bombas como esta.

Escapes – Fronteira da Imaginação (Escapes, EUA, 1986) – Nota 5,5
Direção – David Steensland
Elenco – Vincent Price, Todd Fulton, Jerry Grisham.

Dirigido, produzido e roteirizado pelo desconhecido David Steensland, este filme é quase uma homenagem a antiga série “Além da Imaginação”. Lançado direto em vídeo na época, se tornou um destes filmes cults que os curiosos fãs de terror encontravam no fundo das locadoras. 

O nome e o rosto de Vincent Price na capa eram apenas um chamariz, ele aparecia apenas no início da história como um carteiro que entregava uma misteriosa fita de vídeo para um jovem (Todd Fulton). Curioso por não saber quem enviou a fita, o rapaz resolve assistir e encontra cinco histórias curtas de suspense e terror. As histórias são simples e pouco assustam, mas a idéia é interessante e a realização totalmente B dá algum charme ao filme.

O Portão (The Gate, EUA, 1987) – Nota 4
Direção – Tibor Takacs
Elenco – Stephen Dorff, Louis Tripp, Christa Denton, Kelly Rowan, Jennifer Irwin.

Uma árvore é cortada no quintal do garoto Glen (Stephen Dorff) e no dia seguinte abre-se um estranho buraco e através das músicas de um disco de rock satânico, ele e seu amigo Terry (Louis Tripp) descobrem que ali é um portal para o inferno e que as criaturas esperam dois sacríficos humanos e um animal para invadirem a Terra. Os dois, junto com a irmã de Glen, Alexandra (Christa Denton) terão de lutar para impedir a tragédia. 

Esta história maluca é o ponto de partida para este terror de baixo orçamento com efeitos especiais primitivos, que tem como única atração a presença de Stephen Dorff ainda muito garoto no papel principal. 

O filme teve uma seqüência em 1990 também dirigida pelo húngaro Tibor Takacs e com apenas Louis Tripp de volta ao elenco.

O Beijo Mortal (The Kiss, Canadá / EUA, 1988) – Nota 5,5
Direção – Pen Densham
Elenco – Joanna Pacula, Meredith Salenger, Mimi Kuzyk, Nicholas Kilbertus, Shawn Levy, Jan Rubes.

Felice (Joanna Pacula) reaparece após vinte cinco anos e se aproxima de sua sobrinha Amy (Meredith Salenger). Com a volta da tia, assassinatos violentos começam a ocorrer ao redor da família. Como Felice não explica ao certo onde estave todo este tempo, Amy começa acreditar que sua tia trouxe alguma maldição. 

O ingês Pen Densham tem em seu currículo diversos trabalhos como produtor e roteirista, tendo nesta aventura na direção pouco sucesso. O filme tem até um clima interessante, mortes violentas e a beleza sedutora de Joanna Pacula, porém o roteiro é previsível e o resto do elenco é fraco, inclusive a na época jovem Meredith Salenger, que havia estrelado a aventura da Disney “Viagem Clandestina”, mas que não conseguu emplacar na carreira adulta.  

4 comentários:

Fabiane Bastos disse...

Ei reparei que nossos blogs nasceram quase no mesmo dia. Sua primeira postagem é de 09/02/2012, 1 dia após o meu.

Então, feliz 4 anos p/ vc também!!!!

Amanda Aouad disse...

Vixe, vc desenterrou cada bomba, hehe.

bjs

Hugo disse...

Fabiane - Que coincidência e para dizer a verdade, este ano até esqueci do aniversário do blog.

Amanda - Fui buscar no fundo do baú.

Bjos

Fabiane Bastos disse...

Ixi, acontece nas melhores famílias. Eu esqueci ano passado, hehehe