sábado, 18 de dezembro de 2010

A Máquina do Tempo - 1960 e 2002



A Máquina do Tempo (The Time Machine, EUA, 1960) – Nota 7,5
Direção – George Pal
Elenco – Rod Taylor, Allan Young, Yvette Mimieux, Sebastian Cabot.

Em 1899 na virada do século, o cientista George (Rod Taylor) constrói uma máquina do tempo e aos poucos começa ir para o futuro. Ele verá incrédulo a primeira e a segunda guerras e chegará até os anos sessenta quando a sociedade parece estar acabando. Tentando voltar ao seu tempo, a máquina acaba levando George para 800.000 anos à frente, encontrando um sociedade totalmente diferente, dividida em Elois, humanos que vivem na superfície e são vítimas dos Morlocks, também humanos que vivem nos subterrâneos e que desenvolveram mutações, se transformando em monstros. Vivendo entre os Elois, ele se aproximará da jovem Weena (Ivette Mimieux) e antes de voltar para casa tentará ajudá-los a se defender dos Morlocks.

O filme é baseado na obra de H. G. Wells, escritor inglês que criou diversos livros de ficção, como “A Ilha do Dr. Moreau” e “Guerra dos Mundos”. A adaptação é interessante, com efeitos especiais e maquiagem competentes para época. O longa é um outro acerto de George Pal, que além de diretor também foi produtor de filmes como “A Guerra dos Mundos” e “Houdini”, este último com  Tony Curtis em início de carreira. 

A Máquina do Tempo (The Time Machine, EUA, 2002) – Nota 5,5
Direção – Simon Wells
Elenco – Guy Pearce, Mark Addy, Sienna Guillory, Samantha Mumba, Omero Mumba, Jeremy Irons, Phyllida Law, Orlando Jones, Yancey Arias

O cientista Alexander Hartdegen (Guy Pearce) acredita ser possível viajar no tempo. Quando sua namorada (Sienna Guillory) é assassinada, ele resolve construir a máquina com o intuito de voltar no tempo e salvar a amada. Mesmo com a descrença de todos, Alexander faz a máquina funcionar, porém acaba viajando 800.000 anos à frente no tempo, chegando numa época que a Terra está separada por duas raças: Os Elois e os Morlocks. Os Elois são um povo pacífico, enquanto os Morlocks são seres deformados que vivem no subsolo e são dominados por um tirano (Jeremy Irons). Lógico que Alexander irá interferir na luta entre os dois povos. 

Aqui temos mais um exemplo de como alguns produtores acreditam que refilmar um clássico com efeitos especiais de última geração é o suficiente para um bom filme, o que resulta quase sempre em um grande erro. Se o original tinha efeitos simples mas competentes e um roteiro eficiente, esta refilmagem é uma grande confusão, com idas e vindas malucas e um roteiro repleto de absurdos. 

Como curiosidade, o diretor Simon Wells é bisneto do escritor H. G. Wells, criador do clássico livro que inspirou o filme.

9 comentários:

James Lee disse...

Eu já vi a versão de 2002 mas me lembro beeem vagamente, gosto de Irons, recentemente vi umas boas películas com ele, falando nele, ele deu uma sumida, né ?

abs,
sebosaukerl.blogspot.com

bruno knott disse...

Cara, meu pai é fã do filme de 2002 e eu, assim como você, não daria uma nota maior do que 6 pra ele. Quero ver o mais antigo para comprar.

Abraços.

Anônimo disse...

Vota aí nos melhores e piores do ano no contaê cinema ;D

https://spreadsheets.google.com/viewform?formkey=dEtGRUJqQzV1YlE4c3Z6VGotRnJPWFE6MQ

by: Renato.

Paulo Henrique disse...

Olá amigo gostaria de trocar visitas contigo , atualmente tenho 30k de

visitas/dia , se aceitar add o meu link e me avise que farei o mesmo

contigo blz ???

Abraços e Parabéns pelo Excelente Blog !!

Paulo Henrique

http://www.downloadfilmeshd.tv

Hugo disse...

James - Nos últimos anos Jeremy Irons tem feito poucos filmes.

Bruno - O antigo é bem melhor que a confusa versão de 2002.

Renato - Valeu pela visita

Paulo - Obrigado pela visita, irei conhecer seu site tb.

Abraço a todos

Kahlil Affonso disse...

gosto dos 2 filmes, mas acho que a adaptação definitiva ainda está por vir...

http://filme-do-dia.blogspot.com/

Hugo disse...

Kahlil - É provável que ainda façam uma nova versão.

Abraço

Nelson L. Rodrigues disse...

Parabéns pelo blog, como diz Vincent Vega "super"!

abraço

Hugo disse...

Nelson - Obrigado pelo elogio e valeu pela visita.

Abraço