quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Filmes Produzidos para a TV - Parte I

Filmes produzidos para tv na maioria das vezes eram sinônimo de má qualidade. Nos últimos anos a HBO tem modificado está história, produzindo ótimos longas, seriados e minisséries que em muitos casos não devem nada ao trabalhos de cinema.

Nesta minha postagem cito uma parte dos diversos filmes para tv que assisti, em sua maioria produções fracas.

Os Doze Condenados 2 (The Dirty Dozen: Next Mission, EUA, 1985) – Nota 5,5
Direção – Andrew V. McLaglen
Elenco – Lee Marvin, Ernest Borgnine, Richard Jaeckel, Ken Wahl, Larry Wilcox, Sonny Landham.

Refilmar ou produzir uma sequência para algum clássico não maioria das vezes é um grande erro. Este longa para a tv comprova a tese. A história é idêntica ao original, apenas com a diferença do alvo. No original era uma castelo na França tomado por nazistas, nesta sequência a missão é assassinar a um general nazista dentro da própria Alemanha. Novamente o Major Reisman (Lee Marvin) é convocado para uma missão suicida, treinar doze condenados para a missão e no caso de sucesso, os sobreviventes ganham a liberdade. 

Do original, além de Marvin estão aqui Richard Jaeckel como seu braço direito e Ernest Borgnine como um General. O restante do elenco tem Ken Wahl, que era um ator em ascensão na tv e fez depois o seriado “O Homem da Máfia” e Larry Wilcox, que era famoso pelo seriado “Chips” e depois disso praticamente se aposentou. O longa é o penúltimo da carreira do carrancudo Lee Marvin, que faria ainda “Comando Delta” no ano seguinte. Por incrível que pareça, em 1987 foi produzido outro longa com o mesmo team para a tv, desta vez apenas como Ernest Borgnine do elenco original e com Telly Savalas no lugar de Lee Marvin.

Guerra do Golfo (Before the Storm, EUA, 1991) – Nota 6
Direção – Michael Fresco
Elenco – Linda Purl, Anthony John Denison, John Rhys Davies, Josef Sommer, Jesse Borrego, G. W. Bailey, Dana Gladstone, John Rhys Davies, Shaun Tob, Kasi Lemons, John Slattery, Josef Sommer

A história tem como protagonistas o casal Dylan (Anthony John Denison) e Kate Del Amico (Linda Purl), que trabalham com agentes do governo e são enviados em uma missão secreta para Bagdá, com o intuito de investigar um possível ataque de Sadam Hussein com armas químicas aos países vizinhos. 

O longa foi produzido na mesma época da primeira Guerra do Golfo e utilizou um fato real para criar uma história fictícia de espionagem. Tem algumas cenas interessantes de suspense, mas fica difícil acreditar na pequena Linda Purl como espiã. Este filme fez sucesso na tv americana e gerou ainda uma minissérie com o casal de espiões seguindo numa missão na Rússia, aproveitando também o final da União Soviética. 

Super Máquina 2000 (Knight Rider 2000, EUA, 1991) – Nota 4
Direção – Alan J. Levi
Elenco – David Hasselhoff, Edward Mulhare, Susan Norman, Carmen Argenziano, Mitch Pileggi.

Quando David Hassellhoff voltou a fazer sucesso com a série “Baywatch”, os produtores tentaram apostar num retorno do ator ao personagem de Michael Knight do seriado de sucesso “A Super Máquina”. Neste telefilme Knight (Hasselhoff) é chamado de volta ao trabalho para tentar desvendar uma série de crimes, que ocorrem mesmo com a proibição das armas e com o congelamento literal dos bandidos que são capturados. Este longa é praticamente um episódio em longa duração e vale apenas para os fãs da série.

Mortal Fear – A Fórmula da Morte (Mortal Fear, EUA, 1994) – Nota 5
Direção – Larry Shaw
Elenco – Joanna Kerns, Gregory Harrison, Max Gail, Tobin Bell, Katherine LaNasa, Robert Englund, Rebecca Schull.

Baseado num livro de Robin Cook, a história tem como protagonista a Dra. Jennifer Kessler (Joanna Kerns), uma cientista que trabalha com pesquisa avançada em um hospital. Quando alguns pacientes idosos começam a morrer sem explicação, ela começa a investigar e descobre uma conspiração por trás das mortes. O longa não se aprofunda no tema polêmico e tem como curiosidade o elenco, que conta com dois ícones do terror como médicos coadjuvantes, o ‘Freddy Krueger” Robert Englund e o “Jigsaw” Tobin Bell. 

Projeto Nuclear (Critical Assembly, EUA, 2003) – Nota 5
Direção – Eric Laneuville
Elenco – Katherine Heigl, Kerr Smith, Michael Beach, J. August Richards, Jeff Roop.

Na renomada Universidade de Stanford em São Francisco, a estudante de física Aizy Hayward (Katherine Heigl) é considerada acima da média e praticamente tem um emprego garantido em uma grande corporação, porém seu desejo é desenvolver pesquisas, o que ela descobre ser impossível na empresa que deseja contratá-la. Na dúvida entre um emprego burocrático com dinheiro garantido e a vontade de fazer a diferença, ela é abordada por um estudante de ciências políticas e ativista contra as armas nucleares, Bobby Damon (Kerr Smith). O que a princípio parece ser um flerte, se transforma numa proposta quando ele e mais dois amigos querem que ela os ajude a construir uma bomba atômica para assustar as autoridades e a opinião pública, sem a intenção de detoná-la, apenas para conseguir que sua causa ganhe apoio. O grupo resolve iniciar o projeto, porém a situação acaba saindo do controle e uma tragédia fica prestes a ocorrer. 

A história é até interessante, apesar de absurda e poderia render um bom filme, porém esta produção para tv tem um roteiro muito fraco que deixa o filme com cara de episódio de seriado, onde tudo se resolve facilmente.

Terror no Shopping Center (Terror in the Mall, EUA / Alemanha, 1998) – Nota 5
Direção – Norberto Barba
Elenco – Rob Estes, Shannon Sturges, David Soul, Kai Wiesinger, Angeline Ball.

Durante uma inundação numa pequena cidade americana, um grupo de pessoas fica presa em shopping center e entre eles está um perigoso fugitivo. Ao mesmo tempo que o grupo luta para sobreviver, precisará descobrir quem é o criminoso. Apesar da trama cheia de clichês e da limitação deste tipo de produção para a tv, o longa tem boas cenas de ação e algum suspense. O ator principal Rob Estes, vinha do razoável sucesso da série policial “Silk Stalkings” e tentava se manter como astro de tv. Depois desse trabalho ele continua até hoje trabalhando em diversos seriados.

5 comentários:

Jenifer Torres disse...

Não costumo assistir muito a filmes feitos para TV. Mas, de fato, eles têm melhorado muito.
Feliz 2011!

James Lee disse...

Dois filmes que assisti especialmente para a televisão são: "Gia" e "Um crime americano", gostei bastante na época que eu os vi, os dois possuem ótimas qualidades devido ao padrão que a própria telvisão oferece e realmente, anda melhorando consideravelmente!

abs.

Kahlil Affonso disse...

adoro filmes para a tv... alguns são muito bons!

http://filme-do-dia.blogspot.com/

Hugo disse...

Jenifer - Principalmente as produções da HBO.

James - Tb assisti "Gia", é um ótimo drama com Angelina Jolie.

Kahlil - E outros bem fracos também.

Abraço a todos

José Silva disse...

Algumas series de tv são bastante boas, mas particularmente gosto mais de boas produções para cinema.
Feliz Ano Novo pra todos.
Digital-infor é o meu blog, visitem.