quinta-feira, 21 de maio de 2009

O Diabo a Quatro

O Diabo a Quatro (Duck Soup, EUA, 1933) – Nota 8
Direção – Leo McCarey
Elenco – Groucho Marx, Harpo Marx, Chico Marx, Zeppo Marx, Margaret Dumont, Louis Calhern, Raquel Torres.

No fictício país de Freedonia, a aristocrata Mrs. Teasdale (Margareth Dumont) ajuda a nomear Rufus T. Firefly (Groucho Marx) como novo líder e este totalmente maluco cria um grande confusão com Mr. Trentino (Louis Calhern), Embaixador de Sylvania, que a princípio contrata outros dois malucos (Harpo e Chico Marx) para espionar o inimigo, mas na realidade estes apenas causam mais confusão e ajudam a iniciar um guerra entre os dois países.

Esta história insana é apenas um pretexto para uma sucessão de gags a cargo da dupla Harpo e Chico, o primeiro que não falava uma palavra sequer e sempre com um sorriso no rosto cria cenas engraçadíssimas com objetos e o segundo com seu jeito malandro sempre tenta enganar alguém, tudo isso combinado com as piadas que saem incessantemente da boca de Groucho Marx, que com seu bigodão e sempre com um charuto na mão, dispara sua metralhadora verbal principalmente contra a personagem de Margareth Dumont, que por sinal é usada como escada pelos irmãos Marx em vários filmes. O quarto irmão Zeppo é apenas uma figura decorativa, que participa das cenas musicais e também serve de escada para os irmãos.

Apesar das novas gerações não conhecerem os irmãos Marx, seus filmes são todos hilários e recheados de piadas do início ao fim. Para quem já viu vale rever e para quem não conhece e gosta do gênero, torna-se obrigatório conferir

6 comentários:

Kátia Lopes disse...

Ouvir falar muito do trabalho dos irmao Maxx, tenho muita vontade de conhecer. E quero agradecer seu comentario no meu blog. Cinema na Lata :D

Fred Burle disse...

Esse filme é sempre bem comentado, preciso assistí-lo logo...
Valeu pela dica.

Dan disse...

Não sei não, mas nunca me dei bem com os irmâos Marx, tentei e nunca gostei, desde os tempos de menino. Não pense que sou metido a besta, acho que fazem um tipo de humor que não compreendo.

Paulo Roberto Montanaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Roberto Montanaro disse...

Que ótima atitude reviver aqui no seu blog os inesquecíveis Irmãos Marx. Esses grandes gênios do cinema anterior a maioria de nós precisam ser resgatados sempre! Que venha mais comentários de Buster Keaton, Chaplin e Meliés!

PS: valew por pelos comentários no Pensando Imagem e Som!

Há braços

Hugo disse...

Kátia - Todos os filmes dos Irmãos Marx são engraçadissimos, vale conferir.

Fred - Se tiver oportunidade, assista.

Dan - O gosto pela comédia é muito individual, mesmo quando o comediante é bom ele não consegue agradar a todos.

Paulo - Procuro comentar filmes de diferentes épocas, na minha opinião não interessa a idade, mas sim a qualidade.