sábado, 30 de julho de 2016

Memórias Secretas

Memórias Secretas (Remember, Canadá / Alemanha, 2015) – Nota 8
Direção – Atom Egoyan
Elenco – Christopher Plummer, Martin Landau, Bruno Ganz, Jurgen Prochnow, Dean Norris, Henry Czerny.

O alemão Zev Guttman (Christopher Plummer) é um judeu sobrevivente de Auschwitz que vive em um asilo.

Sofrendo de demência e com a morte recente da esposa, Zev é orientado por seu amigo Max (Martin Landau), que entrega uma carta com um plano que deverá ser seguido por ele. Max diz que o plano foi elaborado pelos dois enquanto Zev ainda estava bem de saúde.

Zev abandona o asilo e segue as instruções da carta, tendo como objetivo encontrar um outro alemão chamado Rudy Kurlander. O problema é que existem quatro pessoas com este nome entre os Estados Unidos e o Canadá. 

Este surpreendente drama é com certeza o melhor filme do direto egípcio Atom Egoyan desde o elogiado “O Doce Amanhã” de 1997. As obras de Egoyan geralmente são dramas que focam em personagens marcados pelo passado. Aqui o foco é este, mas diferente de suas obras anteriores que sofrem por não se desenvolverem tão bem quanto as premissas, neste longa, Egoyan cria uma história completa de resgate do passado, em que a memória falha do personagem principal esconde fatos que serão revelados na impactante sequência final. 

A jornada do protagonista é valorizada pela belíssima interpretação do veteraníssimo Christopher Plummer, que do alto dos seus oitenta e seis anos tem a rara oportunidade de segurar um filme praticamente sozinho. Apesar de pequenas, também são importantes as participações de Martin Landau (oitenta e sete anos) e do alemão Bruno Ganz (setenta e quatro anos). 

O resultado é um ótimo drama que merece ser descoberto.

6 comentários:

Marília Tasso disse...

Tô com esse filme aqui, não enrolarei mais pra ver, Christopher Plummer é maravilhoso!

Liliane de Paula disse...

Vou tentar vê.
Não tenho tido sucesso nos sites que vc indicou.
Quem sabe agora que a conexão voltou ao normal, consiga.

Liliane de Paula disse...

Respondendo: violência aqui(PE) Hugo não é pior que no Rio, por exemplo.
Mas eu não aceito como normal essa violência que existe, porque eu sei que existe um nível aceitável.
Acho que por isso, meu medo, minha tolerância, piorou e muito.
Acho terrível ter que andar de celular escondido na cintura.
Terrível ser assaltado enquanto está num restaurante, por ex.

Gustavo H. Razera disse...

Não considero o filme melhor do que a obra-prima Ararat, de 2002, mas decerto concordo que é seu melhor filme desde então. Uma investigação de personagem e da História feita com contenção e originalidade. Pena que foi tão pouco vista nos cinemas!

Cumps.

Amanda Aouad disse...

Merece mesmo, está na minha lista, mas ainda não consegui ver, rs. Bom me lembrar.

bjs

Hugo disse...

Marília - É muito bom ver um ótimo ator como Plummer tendo uma grande papel na idade em que ele está.

Liliane - A situação de insegurança é um problema no país todo. Infelizmente não vejo como esta situação possa melhorar.

Gustavo - Eu não considerei "Ararat" porque ainda não assisti.

Amanda - Com certeza vc irá gostar.

Abraço