segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Alien: Covenant

Alien: Covenant (Alien: Covenant, EUA / Inglaterrra / Austrália / Nova Zelândia / Canadá, 2017) – Nota 7
Direção – Ridley Scott
Elenco – Michael Fassbender, Katherine Waterston, Billy Crudup, Danny McBride, Demian Bichir, Carmen Ejogo, Jussie Smollett, Callie Hernandez, Amy Seimtez, Guy Pearce, James Franco.

Dez anos após a nave Prometheus desaparecer no espaço, uma nova expedição colonizadora é enviada para um planeta distante. A nave batizada de Covenant carrega uma tripulação e mais duas mil pessoas que estão hibernando, além do androide Walter (Michael Fassbender) que supervisiona a viagem que tem previsão de mais de sete anos. 

Um problema elétrico desperta os tripulantes, mata um deles e danifica a nave. Enquanto tentam reparar a nave, eles descobrem um planeta que está bem próximo e que aparentemente tem todas as condições de ser a nova colônia para os humanos. Mesmo sem saber o que podem enfrentar, eles decidem enviar uma expedição para reconhecimento do planeta. 

Sem contar os dois filmes “Alien vs Predador”, este é o sexto longa da franquia iniciada pelo mesmo Ridley Scott em 1979 e na minha opinião o mais fraco. Não chega a ser um filme ruim. A parte técnica é caprichada e as cenas de ação são competentes, porém a história é totalmente previsível, além de copiar diversas situações que vimos em outros filmes da franquia. Outro ponto fraco são os personagens. Com exceção do sempre competente Michael Fassbender, falta carisma ao restante do elenco. 

O final deixa em aberto a possibilidade de mais uma sequência. Por mais que eu goste da franquia, se realmente uma nova sequência for produzida, chegou a hora dos roteiristas utilizarem a criatividade para criar algo realmente novo.  

2 comentários:

Liliane de Paula disse...

Por mais que eu tente não consigo gostar desse estilo de filme.
Eu simplesmente não entendo.
Quando leio suas resenhas até me parecem entendível.

Hugo disse...

Liliane - A história deste filme está longe de ser complexa. A questão de gostar ou não de um estilo ou gênero é algo pessoal.