quinta-feira, 3 de março de 2016

Walt nos Bastidores de Mary Poppins & Mary Poppins


Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks, Inglaterra / EUA / Austrália, 2013) – Nota 7,5
Direção – John Lee Hancock
Elenco – Emma Thompson, Tom Hanks, Colin Farrell, Annie Rose Buckley, Ruth Wilson, Paul Giamatti, Bradley Whitford, B.J. Novak, Jason Schwartzman, Kathy Baker, Melanie Paxson, Rachel Griffiths.

Em 1961, a escritora P.L. Travers (Emma Thompson) precisa de dinheiro e por este motivo aceita ir de Londres até Los Angeles para negociar a venda dos direitos de seu livro “Mary Poppins” para Walt Disney (Tom Hanks), que deseja adaptá-lo para o cinema há mais de vinte anos. Solitária e seca com as pessoas, Travers coloca uma condição para fechar o negócio. Ela deseja fazer uma revisão do roteiro e das músicas que serão utilizadas no filme. 

Em paralelo, a trama volta para 1906, quando Travers ainda criança (Annie Rosie Buckley) vai viver com a mãe (Ruth Wilson), duas irmãs pequenas e o pai (Colin Farrell) no interior da Austrália. A convivência com o amoroso pai, a princípio esconde os problemas que sua família terá de enfrentar. 

A tradução do título nacional tenta colocar Walt Disney como personagem principal, quando na realidade a história é sobre a participação da escritora Travers nos bastidores da realização do filme e como o livro escrito por ela era em parte uma autobiografia que misturava fantasia e redenção. 

Mesmo que muitas destas situações tenham sido diferentes na vida real, o roteiro é muito interessante ao contrapor a radiante criança Travers, cheia de sonhos e mimada pelo pai, com a senhora de meia-idade amargurada com a vida e com as pessoas. A interpretação de Emma Thompson é um dos pontos altos do filme, chegando ao auge na sequência da pré-estreia. 

Uma gravação original de Travers discutindo o roteiro é ouvida nos créditos finais, deixando claro como ela era uma pessoa complicada.  

Vale destacar ainda a participação de um Colin Farrell cheio de energia e o simpático motorista vivido por Paul Giamatti. 

É um bom filme sobre a história de vida da escritora P.L. Travers.

Mary Poppins (Mary Poppins, EUA, 1964) – Nota 8
Direção – Robert Stevenson
Elenco – Julie Andrews, Dick Van Dyke, David Tomlinson, Glynis Johns, Karen Dotrice, Matthew Garber.

Londres, 1910. As crianças Jane (Karen Dotrice) e Michael (Matthew Garber) ficam mais uma vez sem babá. O pai, Mr. Banks (David Tomlinson) é um sujeito rígido e autoritário, que pensa apenas em trabalho. Quando inesperadamente surge Mary Poppins (Julie Andrews), transmitindo alegria com seu guarda-chuva e sua cantoria, as crianças ficam desesperadas para que ela seja a nova babá. 

A história narrada pelo personagem do músico interpretado por Dyck Van Dyke é daquelas que atingem adultos e crianças. Com músicas que colam nos ouvidos e coreografias criativas, o longa se tornou um clássico do gênero. Mesmo para quem não é grande fã de musicais, como é o meu caso, o filme é um divertido passatempo.

8 comentários:

Ana Leonilia disse...

Ainda não vi "Mary Poppins"; mas "Walt" eu assisti de maneira descompromissada e me encantei, em parte devido a ótima atuação da Thompson.
Essa mulher arrasa nas telonas. <3

Bjs ;)

Pedrita disse...

nunca me animei de ver. prometo pensar. beijos, pedrita

Hugo disse...

Ana - Realmente Emma Thompson tem um grande desempenho e a história é bem interessante.

Pedrita - São dois filmes sobre o mesmo tema, porém bem diferentes entre si.

Bjos

Liliane de Paula disse...

Achei seu comentário bem interessante.
Não sabia nada sobre a verdadeira autora do Mary Poppins que já vi e revi.

As vezes Pedrita, que tem meu WhatsApp, avisa de algum filme.
Mas acho que vc assiste mais no Kobi. Verdade?

Amanda Aouad disse...

Mary Poppins fez parte da minha infância, talvez por isso, Walt não tenha me encantado tanto. Acho que ele exagera na mão tentando nos emocionar e explicar demais as relações entre a infância da escritora e o que ela colocou em sua obra. E sim, o título é muito ruim.

bjs

Hugo disse...

Liliane - Isso assisto filmes variados, não fico preso aos filmes em cartaz. Por exemplo, este filme sobre a autora de Mary Poppins eu assisti esta semana no Telecine que estava com o sinal aberto.

Amanda - Mary Poppins é um daqueles clássicos universais, que agrada a todas as idades.

Eu gostei desta versão sobre a vida da autora, lógico que é uma versão romanceada, mas não deixa de ser interessante.

Bjos

Gustavo H. Razera disse...

Penso um pouco diferente. Achei Bastidores muito, mas muito lamechas e com uma estrutura de flashbacks que emperra muito o desenrolar narrativo. Já Mary Poppins é um musical cheio de energia e humor, com uma história muito bem contada!

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Eu gostei porque mostra um história diferente, mas concordo que ele é um pouco exagerado na "sensibilidade".

Abraço