quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Corpos Ardentes

Filme Assistido nº 124
Corpos Ardentes (Body Heat, EUA, 1981) – Nota 9
Direção – Lawrence Kasdan
Elenco – William Hurt, Kathleen Turner, Richard Crenna, Mickey Rourke, Ted Danson, J. A. Preston.

O diretor e roteirista Lawrence Kasdan tem dez filmes no seu currículo e o último feito em 2003, uma pena que alguém tão talentoso fique muito tempo sem filmar. Ele fez o roteiro de grandes filmes como “O Império Contra-Ataca” e “Os Caçadores da Arca Perdida”, mas este “Corpos Ardentes” foi sua estréia como diretor e seria impossível ser melhor.

A trama inspirada nos filme noir dos anos quarenta se passa numa pequena cidade da Flórida, onde o péssimo advogado Ned Racine (William Hurt) se envolve com a bela e sensual Matty Walker (Kathleen Turner) e entre as várias cenas quentes de sexo eles resolverm armar um plano para assassinar o empresário ricaço marido de Matty, Edmund (Richard Crenna) para ficar com a herança da vítima. O que parece ser uma trama simples é apenas metade da história, onde as aparências enganam e o que parece estar certo acaba dando errado, numa seqüência de acontecimentos que confundem a cabeça do advogado.

Podemos destacar o ótimo elenco, hoje todos rostos conhecidos, mas na época este foi o segundo filme de William Hurt que havia feito apenas “Viagens Alucinantes”, foi a estréia de Kathleen Turner no cinema, além de Mickey Rourke e Ted Danson ainda em início de carreira.

O filme é baseado no clássico “Pacto de Sangue” que Billy Wilder dirigiu em 1944, não deixando nada a desejar ao original, chegando a ser considerado uma das melhores estréias de um diretor no cinema.

3 comentários:

Cecilia Barroso disse...

Esse filme é mesmo sensacional!
Lembro que fiquei super agoniada...

Beijocas

Red Dust disse...

É um belo filme de sedução, com Kathleen Turner bonita como nunca na sua estreia cinematográfica. A história mostra-se em tensão e suspense permanente. Um dos melhores filmes dos anos 80.

Abraço.

Hugo disse...

Cecília - É um suspense de primeira.

Red - E pensar como Kathleen Turner está hoje...