quarta-feira, 23 de março de 2016

Homens de Preto - A Trilogia

Homens de Preto (Men in Black, EUA, 1997) – Nota 8
Direção – Barry Sonnenfeld
Elenco – Tommy Lee Jones, Will Smith, Linda Fiorentino, Rip Torn, Vincent D'Onofrio, Tony Shalhoub, Siobhan Fallon Logan, Mike Nussbaum, Jon Gries, Fredric Lehne.

O agente K (Tommy Lee Jones) trabalha em uma agência secreta do governo que fiscaliza as atividades alienígenas na Terra. O sisudo K recruta como parceiro o agente J (Will Smith), que se mostra um sujeito falante e contestador. As diferenças de personalidade são colocadas de lado quando descobrem que um alienígena chegou na Terra à procura de um objeto de que pode destruir o planeta. O estranho alien toma o corpo de um agricultor (Vincent D’Onofrio) e segue em busca do artefato. 

Baseado em um comic book, este longa fez um merecido sucesso ao misturar ficção científica com comédia de uma forma extremamente agradável. São vários pontos positivos. A química entre a dupla principal rende diálogos divertidíssimos, inclusive nas cenas em que participa o chefe da agência, o veterano agente Z (Rip Torn). As piadas sobre as personalidades que seriam alienígenas são outra bela sacada. Os ótimos efeitos especiais e a maquiagem dos diversos aliens criadas pela mestre Rick Baker é um outro destaque. Tudo isso é valorizado pelos coadjuvantes, como os impagáveis Vincent D’Onofrio e Tony Shalhoub, além da presença feminina de Linda Fiorentino como uma patologista. 

Diversão de primeira qualidade.

Homens de Preto 2 (Men in Black II, EUA, 2002) – Nota 6,5
Direção – Barry Sonnenfeld
Elenco – Tommy Lee Jones, Will Smith, Rip Torn, Lara Flynn Boyle, Johnny Knoxville, Rosario Dawson, Tony Shalhoub, Patrick Warburton, Jack Kehler, David Cross, Peter Graves, Michael Jackson.

Cinco anos após salvar o planeta, o agente K (Will Smith) não consegue a se adaptar a seus novos parceiros. Quando uma nova ameaça alienígena chega na Terra e toma o corpo de uma bela modelo (Lara Flynn Boyle), K é obrigado a procurar seu antigo parceiro J (Tommy Lee Jones), que agora trabalha em uma agência de correios numa pequena cidade. A dupla tentará novamente salvar o planeta. 

O tempo de espera de cinco anos entre o filme original e esta sequência mostra que faltava uma ideia original para continuar a história. Isto fica claro no filme, que praticamente repete a mesma fórmula, apenas trocando alguns personagens. O hospedeiro aqui é uma mulher ao invés de um homem e o terceiro elo dos heróis é vivido por Rosario Dawson, num papel muito parecido com o de Linda Fiorentino. O agente Z de Rip Torn, o alienígena de Tony Shalhoub e cachorro falante também retornam. 

Por mais que os efeitos especiais sejam ótimos e algumas piadas divertidas, o qualidade do longa fica muito aquém do original. 

Homens de Preto 3 (Men in Black 3, EUA, 2012) – Nota 7
Direção – Barry Sonnenfeld
Elenco – Willl Smith, Tommy Lee Jones, Josh Brolin, Jemaine Clement, Emma Thomspon, Michael Stuhlbarg, Mike Colter, Alice Eve, Michael Chernus, David Rasche, Bill Hader.

O psicopata interplanetário Boris “The Animal” (Jemaine Clement) consegue escapar de uma prisão de segurança máxima na lua. Ela volta para Terra com o objetivo de encontrar um artefato que o faça viajar no tempo até 1969 para assassinar o agente K (Tommy Lee Jones), que o prendeu na época, A volta ao passado faz o presente mudar completamente, restando ao agente J (Will Smith) fazer o mesmo percurso para impedir os planos de Boris. 

Os dez anos de espera desde o segundo filme se mostraram um respiro para a franquia. Não que este filme seja ótimo ou chegue perto do original na qualidade, mas pelo menos resulta num divertimento sem compromisso. A sacado do roteiro em levar grande parte do filme para 1969 é interessante, muito também para diminuir a presença em cena de Tommy Lee Jones, que aos sessenta e oito anos na época, já não tinha a agilidade suficiente para cenas de ação. 

A entrada de Josh Brolin interpretando K na juventude é um acerto. Assim como Jones, Brolin também tem um rosto duro para fazer um contraponto ao engraçadinho personagem de Will Smith. Os coadjuvantes também são interessantes. Além do vilão Boris, vale destacar Michael Stuhlbarg como o sujeito que consegue ver várias dimensões ao mesmo tempo e o comediante Bill Hader interpretando o maluco Andy Warhol. 

Foi uma boa surpresa, eu esperava um mero caça-níquel e no final acabei me divertindo. 

5 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Concordo que o 2 é o ponto baixo da trilogia, mas, se bobear, acho que o terceiro é o melhor. Tem uma dose extra de emoção no final, e tem Tommy Lee Jones de verdade e um inspiradíssimo Josh Brolin o imitando quando mais jovem.

Cumps.

Pedrita disse...

todos são muito divertidos. o último está nesse blog http://mataharie007.blogspot.com.br/2013/06/mib-3.html
beijos, pedrita

Amanda Aouad disse...

Pois é, o segundo é mais fraco. Também acho o primeiro o melhor, pela novidade, pela construção do universo, mas o terceiro foi mesmo o que mais me surpreendeu, conseguiram recuperar o fôlego e mantiveram a coerência com viagem no tempo e tudo.

bjs

Liliane de Paula disse...

Não vi nenhum deles.
Acho que já disse que não consigo gostar de filmes que tenham mentiras.
Sempre digo que "Nem mentiras sinceras, me interessam".
Mas sou fã de Tommy Lee Jones, Josh Brolin, Vicent D´Onofrio(engordou muito)

Instalei o //tocadoscinefilos.net.br e até agora não acertei a abrir filmes.
Sigo a lista de filmes que vc me mandou(imprimi) e não encontro os filmes.
Mas, vou conseguir.

Hugo disse...

Gustavo - Eu considero o primeiro melhor principalmente por ser original, mas concordo que a história do terceiro também é bem interessante.

Pedrita - São filmes divertidos.

Amanda - Eu também não esperava nada do terceiro, por isso fui assistir apenas esta semana porque estava passando em um canal de tv a cabo e acabei tendo uma agradável surpresa.

Liliane - O cinema é apenas diversão, não precisa levar a sério a questão da mentira neste contexto.

Abraço