segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Terremoto - A Falha de San Andreas & Terremoto


Terremoto – A Falha de San Andreas (San Andreas, EUA / Austrália / Canadá, 2015) – Nota 6
Direção – Brad Peyton
Elenco – Dwayne Johnson, Carla Gugino, Alexandra Daddario, Ioan Gruffud, Paul Giamatti, Archie Panjabi, Hugo Johnstone Burt, Art Parkinson, Will Yun Lee, Kylie Minogue.

Três narrativas paralelas relatam as consequências de um gigantesco terremoto na Califórnia. O cientista Lawrence (Paul Giamatti) e seu parceiro Kim (Will Yun Lee) estão em uma barragem testando uma nova fórmula que aparentemente consegue prever abalos sísmicos, quando um violento terremoto atinge o local. Após a situação se acalmar, os cálculos de Lawrence indicam que um terremoto ainda maior está por vir, que afetará todo o Estado da Califórnia. 

Após o primeiro abalo, o piloto de resgate Ray (Dwayne Johnson) segue com seu helicóptero para salvar sua ex-esposa Emma (Carla Gugino) que estava almoçando em um arranha-céu. A terceira narrativa segue os passos da jovem Blake (Alexandra Daddario), filha de Ray e Emma, que estava na empresa do padrasto (Ioan Gruffud) durante o terremoto e que recebe a ajuda de dois irmãos ingleses (Hugo Johnstone Burt e Art Parkinson). 

Os filmes catástrofes geralmente são exagerados, porém este nos brinda com algumas das cenas de ação mais absurdas dos últimos anos. O menu é farto, temos o carro pendurado no penhasco com uma garota dentro, o edifício que vai se desmanchando enquanto uma personagem tenta chegar ao topo, o helicóptero fazendo piruetas malucas, entre várias outras insanidades. 

O roteiro é totalmente recheado de clichês, inclusive com a busca do pai pela filha lembrando a trama de “O Dia Depois do Amanhã”, em que Dennis Quaid atravessava o país debaixo do gelo em busca do filho vivido por Jake Gyllenhaal. Por sinal, a destruição mostrada aqui deve ter dado uma inveja danada em Roland Emmerich, pois o filme tem a cara dele. 

Para quem quer se divertir sem compromisso, desligue o cérebro e curta os absurdos.

Terremoto (Earthquake, EUA, 1974) – Nota 6,5
Direção – Mark Robson
Elenco – Charlton Heston, Ava Gardner, George Kennedy, Genevieve Bujold, Lorne Greene, Victoria Principal, Walter Matthau, Richard Roundtree, Lloyd Nolan, Marjoe Gortner, Barry Sullivan, Pedro Armendariz Jr.

O sucesso de “Aeroporto” em 1970 deu início ao chamado “Cinema Catástrofe”, criando um novo gênero que rendeu vários filmes até 1980, sendo praticamente encerrado com “O Dia em Que Mundo Acabou”. O gênero renasceu no final dos anos noventa e até hoje pelo menos um filme por ano neste estilo é produzido. 

Este “Terremoto” segue a narrativa comum ao gênero, cruzando pequenas histórias em torno de uma tragédia. Durante a primeira hora, os personagens são apresentados ao público. O personagem principal é o arquiteto Stuart Graff (Charlton Heston), que vive um casamento em crise com a instável Remy (Ava Gardner) e tem um caso com uma bela jovem (Genevieve Bujold). 

Na segunda trama temos o policial Slade (George Kennedy), que está suspenso por ter usado força excessiva contra um criminoso. O terceiro elo tem o estranho balconista Jody (Marjor Gortner), que é apaixonado por uma jovem do bairro (Victoria Principal) que não tem interesse nele. Quando um terremoto atinge Los Angeles, estes personagens juntos com vários outros, precisam lutar para sobreviver. Neste contexto, surgem os líderes e os heróis, enquanto outros mostram seu pior lado. 

O filme fez sucesso e concorreu a vários prêmios técnicos do Oscar, graças aos efeitos especiais da época e também por ter lançado o sistema de som Sunserround, porém envelheceu mal neste quesito, principalmente pelo exagerado uso de maquetes. 

É um filme que hoje vale apenas como curiosidade.

5 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Devo dizer que gostei do San Andreas mais do que você. É um filme que vai direto ao ponto, sem muita frescura e tem efeitos incríveis. Já o clássico Terremoto ainda preciso assistir.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Achei as cenas de ação exageradas.

Abraço

Rodrigo Mendes disse...

Prefiro o clássico, sem dúvida, mas "San Andreas" tem boas sequências de ação e gostei dos efeitos especiais, embora o drama dos personagens centrais seja defasado.

Abraço.

Hugo disse...

Rodrigo - O filme é divertido, mas as sequências de ação são absurdas.

Abraço

Camila Vázquez disse...

Se você é alguém que gosta de sentir os nervos durante um filme e ver o caos em toda parte, Terromoto: A Falha de San Andreas é o filme certo. filme pretende entreter, nos lembram que existe a possibilidade de uma catástrofe deste tipo. Excelente filme. é que não há nenhuma diferença entre 2D e 3D, por isso, se vemos em casa na TV teremos não perdeu nada.