terça-feira, 27 de outubro de 2015

O Exterminador do Futuro: Gênesis

O Exterminador do Futuro: Gênesis (Terminator Genisys, EUA, 2015) – Nota 7
Direção – Alan Taylor
Elenco – Arnold Schwarzenegger, Jason Clarke, Emilia Clarke, Jai Courtney, J. K. Simmons, Dayo Okeniyi, Matt Smith, Courtney B. Vance, Byung Hun Lee.

Pegue os quatros roteiros dos filmes anteriores da franquia, jogue em um liquidificador, bata em velocidade alta e o resultado será este acelerado longa. Não que isto seja ruim, o filme em si é eletrizante, tem cenas de ação de primeira, muita correria, perseguições e a trama mais complexa dos cinco filmes, porém ao final de sessão fica a sensação de que já havíamos assistido tudo aquilo nos anteriores. 

Fica até complicado comentar a trama repleta de idas e vindas no tempo. Basicamente, a história começa em 2029 quando os rebeldes liderados por John Connor (Jason Clark) estão prestes a derrotar a Skynet, porém para a vitória ser decisiva, será necessário que Kyle Reese (Jai Courtney) volte no tempo até 1984 para encontrar Sarah Connor (Emilia Clark). Ao chegar em 1984, Reese descobre que o mundo citado por John Connor é bem diferente do que ele realmente encontra. 

As várias sequências inspiradas nos filmes anteriores podem ser consideradas homenagens, como também podem ser vistas como reciclagem de ideias e falta de novidades. 

Para os mais jovens acostumados com franquias e que não assistiram no cinema os dois primeiros filmes, este novo longa agradará bastante, mas no meu caso, que assisti ao original no cinema quando era adolescente, saindo de olhos arregalados após a sessão, esta sequência pouco acrescenta. 

Finalizando, o destaque fica para o veterano Schwarzenegger como o envelhecido exterminador T-800. Apesar do vários sucessos que teve no cinema, este é o papel pelo qual ele será lembrado eternamente. 

5 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Falou pouco, mas disse tudo: nada acrescenta. As ideias revolucionárias dessa série foram pelo ralo há mais de 20 anos.

Cumps.

Amanda Aouad disse...

Pois é, o primeiro vi na VHS mesmo, mas o segundo vi no cinema. Acho que o filme terminou aí, tudo que veio depois foi excesso, necessidade de recontar a mesma história.

bjs

Hugo disse...

Gustavo e Amanda - Os três últimos filmes são divertidos, mas estão muito longe das obras de James Cameron.

Abraço,

Pedrita disse...

nossa, resumiu muito bem. coloca em um liquidificador as versões anteriores e pronto, gênese chegou. eu achei exageradas as excessivas perseguições. fica muito cansativo e repetitivo. o derreter e surgir de novo então, afe!!! beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - A franquia não tem mais para onde seguir, já está esgotada.

Bjos