domingo, 19 de julho de 2015

Wolverine: Imortal

Wolverine: Imortal (The Wolverine, Inglaterra / EUA, 2013) – Nota 7
Direção – James Mangold
Elenco – Hugh Jackman, Tao Okamoto, Rila Fukushima, Hiroyuki Sanada, Svetlana Khodchenkova, Will Yun Lee, Brian Tee, Haruhiko Yamanouchi, Ken Yamamura, Jamke Janssen.

Nos dias atuais, Wolverine (Hugh Jackman) vive solitário nas florestas do Canadá, sofrendo pela morte de Jean Grey (Famke Janssen) e tentando renegar seu passado. Em um certo dia, Wolverine é procurado pela jovem japonesa Yukio (Rila Fukushima), que tem o poder de ver a morte das pessoas e que deseja levá-lo ao Japão para encontrar o velho milionário Yashida (Haruhiko Yamanouchi). 

Durante a Segunda Guerra, Wolverine salvou a vida do então oficial Yashida (Ken Yamamura na época), que agora deseja recompensá-lo pela dívida de vida. Ao chegar no Japão, Wolverine descobre que foi chamado por outro motivo, sendo obrigado ainda a se envolver numa violenta disputa de poder pelo controle das empresas da velho moribundo. 

Como já citei em outras postagens, não sou fã de quadrinhos, por isso minhas resenhas sobre este tipo de longa se baseiam apenas no filme. Neste caso, não sei se existe nos quadrinhos alguma aventura de Wolverine no Japão. Para quem assistiu apenas aos filmes, fica um pouco estranho ver o personagem em meio a uma cultura diferente como a japonesa. 

O filme tem boas cenas de ação, como todas as obras da franquia “X-Men”, alguns coadjuvantes interessantes como a vilã russa Svetlana Khodchenkova e o havaiano Will Yun Lee, além de a cada novo filme, o astro Hugh Jackman comprovar que é o sujeito perfeito para o personagem. 

Os problemas surgem no roteiro que insere um romance um pouco forçado, além da própria trama que parece não combinar com o estilo do personagem. 

Apesar de prender a atenção do espectador, o longa é um pouco inferior em relação a “X-Men Origens: Wolverine”, mesmo deixando um gancho para o ótimo “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido”, que foi lançado no ano seguinte.

6 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Por incrível que pareça, também achei que o primeiro filme-solo do Wolverine tinha mais "tchan". No fim das contas, é tudo muito genérico.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - O primeiro é um pouco melhor, mas realmente são dois filmes que divertem no momento e logo são esquecidos.

Abraço

Amanda Aouad disse...

Já eu acho esse melhor que o primeiro, rs. Na verdade, não gosto nem um pouco do primeiro, esse segundo acabou sendo mais interessante.

bjs

Spoiler Mania disse...

É realmente essa comparação dos filmes do Wolverine faz sentido, ótimo comentário..


http://spoilermania.blogspot.com/

Hugo disse...

Amanda - Não vejo tanta diferença entre os dois filmes, mas mesmo assim gostei mais deste segundo.

Spoiler - Abraço.

Ver Online disse...

Sou fã dos filmes do wolverine, cada um melhor que o outro.