quinta-feira, 2 de julho de 2015

Oblivion

Oblivion (Oblivion, EUA, 2013) – Nota 7
Direção – Joseph Kosinski
Elenco – Tom Cruise, Olga Kurylenko, Morgan Freeman, Andrea Riseborough, Nikolaj Coster Waldau, Melissa Leo.

Sessenta anos no futuro, a Terra está devastada após uma invasão alienígena, que também destruiu parte da lua. Os humanos venceram a guerra, porém os sobreviventes tiveram de mudar para uma espécie de estação espacial chamada Tet. 

Neste contexto, Jack (Tom Cruise) e Victoria (Andrea Riseborough) trabalham em uma estação na Terra que capta os últimos recursos naturais do planeta antes de seguirem para o espaço, além de Jack ter como obrigação fazer a manutenção nos drones que combatem os alienígenas. 

Quando uma nave desconhecida cai na Terra, Jack desobedece as normas de segurança e termina por salvar Julia (Olga Kurylenko), fato que muda completamente sua visão em relação ao que realmente ocorreu no planeta. 

O diretor Joseph Kosinski (“Tron – O Legado”) adaptou sua própria graphic novel para o cinema, resultando num interessante longa de ficção que faz referência a vários clássicos do cinema. A perseguição dos drones lembra “Star Wars”, alguns elementos lembram “Matrix”, como os óculos utilizados por Morgan Freeman, temos a hibernação no espaço da série “Alien”, além do telhado de um destruído Empire State, local que foi cenário para vários filmes, sem contar pequenas referências de outros longas. 

A narrativa tem um bom ritmo, as cenas de ação são caprichadas e a trama é bem amarrada, pelo menos até próximo da parte final. A tentativa de criar algo próximo de um final feliz não convence, fazendo o filme perder pontos.    

5 comentários:

Amanda Aouad disse...

Acho que o pior é a mistura de ideias requentadas em um só filme. Mas, no final das contas, ele consegue ser um bom entretenimento.

bjs

Pedrita disse...

eu gostei desse filme. estava com pé atrás e gostei bastante. comentei aqui. eu amo ficção científica. beijos, pedrita
http://mataharie007.blogspot.com.br/2014/03/oblivion.html

Hugo disse...

Amanda e Pedrita - É um filme que prende a atenção, longe de ser um grande trabalho.

Bjos

Gustavo H. Razera disse...

Gostei bastante, acho que Kosinski leva jeito pra ficção futurista. Mas concordo que o final poderia ser menos comercial de margarina.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Vamos esperar os próximos trabalhos do diretor.

Abraço