terça-feira, 24 de setembro de 2013

A Escolha de Sofia

A Escolha de Sofia (Sophie’s Choice, EUA / Inglaterra, 1982) – Nota 7
Direção – Alan J. Pakula
Elenco – Meryl Streep, Kevin  Kline, Peter MacNicol, Rita Karin, Stephen D. Newman, Josh Mostel, Eugene Lipinski, Robin Bartlett, John Rottman.

Em 1947, o jovem Stingo (Peter MacNicol) chega em Nova York para tentar a vida de escritor. Com pouco dinheiro, Stingo acaba procurando um local para morar no afastado bairro do Brooklin e encontra um quarto para alugar no casarão de Yetta (Rita Karin). Em um dos quartos do local mora também a polonesa Sophie (Meryl Streep), uma sobrevivente do Holocausto que vive com o instável namorado Nathan (Kevin Kline). Não demora para o casal fazer amizade com Stingo, que fica fascinado pela cultura de Nathan e pela beleza de Sophie, porém terá de conviver com os ataques de ciúme do sujeito, sem contar os segredos escondidos por Sophie. 

Alguns filmes ficam marcados por determinadas cenas que a princípio se mostram surpreendentes e impactantes, mas que com o passar do tempo a surpresa já não existe mais e o filme acaba perdendo um pouco força. É o caso deste “A Escolha de Sofia”, que tem na famosa cena da escolha dos filhos uma das sequências mais cruéis da historia do cinema, cena que transformou o longa quase em cult, mas que assistindo por inteiro nos dias de hoje, percebe-se que a história é arrastada em alguns momentos, principalmente na primeira hora que foca na relação entre Sophie, Nathan e Stingo, com sequências que transformam as duas horas e meia de duração em exagero. 

Por outro lado, é necessário destacar a belíssima atuação de Meryl Streep, que merecidamente venceu o Oscar ao interpretar a jovem marcada por escolhas terríveis que foi obrigada a fazer durante toda vida, fatos revelados aos poucos para o espectador. 

É um bom filme, mas acredito que com um diretor com mais talento para o drama, o resultado seria superior. O falecido Alan J. Pakula sempre se saiu melhor em suspenses, tendo como exemplos “A Trama”, “Acima de Qualquer Suspeito” e “Klute, o Passado Condena”.

2 comentários:

Kleiton Gonçalves disse...

Recordo uma cena do seriado Monk, onde o protagonista precisa escolher entre duas latas de feijão idênticas, pois está com pouco dinheiro e não pode levar as duas. Mas ele diz que é impossível escolher, pois é quase que A Escolha de Sofia! kkkkkk

Abraços!

http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2012/03/e-polaca-nao-uma-judia.html

Hugo disse...

Kleiton - Para o Monk muitas situações era como a Escolha de Sofia.

Era uma série muita divertida e com um personagem impagável.

Abraço