sábado, 11 de julho de 2009

Caché

Caché (Caché, França / Áustria / Alemanha / Itália, 2005) – Nota 8
Direção – Michael Haneke
Elenco – Daniel Auteuil, Juliette Binoche, Maurice Benichou, Annie Girardot, Lester Makedonsky, Walid Afkir.

Em Paris, o casal Georges Laurent (Daniel Auteuil) e Anne (Juliette Binoche) vivem aparentemente muito bem com o filho adolescente Pierrot (Lester Makedonsky), ele sendo apresentador de um programa de TV sobre literatura e ela trabalhando como editora, até que em um certo dia eles recebem uma fita vhs onde o conteúdo é uma filmagem estática da frente de sua casa por algumas horas. Intrigados, eles começam a pensar quem seria o responsável por aquilo e a situação piora quando recebem outras fitas e alguns cartões com um determinado desenho.

Esta situação inusitada é o início de um jogo que parece ter como objetivo destruir a vida do casal e principalmente ser uma vingança contra Georges e a cada novo movimento ficamos com a clara impressão de que aquela família distinta tem alguns segredos escondidos (Caché do título significa Escondido em francês), segredos que o diretor Haneke tenta manipular com as fitas entregues ao casal e assim desestrutura-los.

Um detalhe importante da trama é que não vemos praticamente gesto algum de carinho entre o casal, além de um distanciamento do filho, que demonstra saber dos pecados dos pais mas não tem a mínima intenção de discutir o assunto. Haneke manipula com inteligência também o espectador, que fica sempre a espera da revelação, mas terá de se contentar em analisar as camadas abaixo da superfície.

8 comentários:

Dan disse...

Hugo, Caché é um grande filme. Faz parte de um ciclo, acredito eu, de Haneke sobre video e vida em familia. Você já assistiu a Benny's Vídeo, do mesmo diretor, nele existe o mesmo distanciamento na relação pais e filhos e como o nome já diz fala de video também.
Grande lembrança.

Airton disse...

opaa filmes de varios paises em..hehhe
parce legal

abraço

Pedro Henrique disse...

Não embarquei no espírito do filme, apesar de ter achado interessante.

Hugo disse...

Dan - Este foi o primeiro filme de Haneke que assisti, mas vou procurar outros. Gostei do estilo do diretor.

Airton - Tem ótimos filmes feitos pelo mundo inteiro.

Pedro - Não é filme fácil de gostar. Vc disse bem, tem que entrar no espírito da obra.

Abraço a todos

Fifeco disse...

Comprei o filme recentemente mas ainda não consegui ver. Gostei muito do Funny Games do mesmo realizador. Espero que este não me desiluda.

Abraço

Hugo disse...

Fifeco - Não é um filme para todos os gostos, mas só assistindo para ter uma opinião. Estou esperando um chance para assistir "Funny Games".

Abraço

Pedrita disse...

eu fiquei muito impressionada com esse filme. vi nos cinemas. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Os filmes de Haneke sempre deixam o espectador impressionado.

Bjos