domingo, 19 de julho de 2009

Indiana Jones e o Templo da Perdição

Indiana Jones e o Templo da Perdição (Indiana Jones and the Temple of Doom, EUA, 1984) – Nota 10
Direção – Steven Spielberg
Elenco – Harrison Ford, Kate Capshaw, Ke Huy Quan, Amrish Puri, Roshan Seth, Philip Stone, Roy Chiao, David Yip, Ric Young, Dan Aykroyd.

Dos quatro filmes da série Indiana Jones este é o meu favorito. Desde a sensacional e uma da melhores sequências de ação da história do cinema que dá início ao filme, começando em um restaurante em Shangai, onde Indiana (Harrison Ford) arruma uma grande confusão por causa de um diamante com um gângster chinês e termina com ele, a cantora Willie Scott (Kate Capshaw, esposa de Spielberg) e o garoto Short Round (Ke Huy Quan) saltando de um avião e utilizando um bote salva-vidas como para-quedas, passando pela parte cômica a cargo da histérica dondoca Willie e do engraçado garoto Short Round, principalmente em cenas com insetos e comidas exóticas e até as mais fortes como as do ritual, fazem deste o melhor filme da série na minha opinião.

A história se desenrola a partir do momento em que Indiana e seus amigos saltam do avião e caem numa pequena vila na Índia, descobrindo que um novo marajá tomou conta de um palácio abandonado e trouxe à tona uma seita antiga que pratica sacrifícios humanos e que sequestrou todas as crianças do vilarejo para as usarem como escavadoras em busca das Pedras de Sankara, que conforme a história, trarão poder e riqueza a quem possui-las.

A trama sombria pode não ter agradado a todos, mas a mistura de ação e comédia, Harrison Ford no auge da carreira e as incríveis cenas de ação elevam o filme ao nível de um clássico. Não posso deixar de destacar outra grande cena, a da perseguição de carrinhos numa espécie de montanha russa por dentro das cavernas.

Como curiosidade dois fatos: O garoto Ke Huy Quan que faria também “Os Goonies” no ano seguinte, dava a impressão que seria um grande ator, porém ficou pelo caminho, tendo ainda mudado de nome para Jonathan Ke Quan, não conseguiu emplacar na carreira. E o segundo é a pequena e quase imperceptível participação de Dan Aykroyd, que aparece no meio da primeira sequência como o cara do aeroporto que indica para Indiana e seus amigos qual avião pegar para fugir dos chineses.

7 comentários:

Red Dust disse...

Ena... nota máxima. O meu favorito da saga de Indy é o primeiro. Mas este continua de forma esmerada o começo das aventuras. Cenas bem montadas e um argumento a condizer.

Só uma pequena correcção, se me permites: o filme é de 1984.

Abraço.

Airton disse...

esse filme num eh de 2004 hehehhe
de 84...
eu curto soh o primeiro indiana jones cara

http://publicandobr.blogspot.com/2009/07/karl-maden-1917-2009.html

Fifeco disse...

Muitos dizem que este Indy é pior que os outros. Quanto a mim está ao nível do terceiro. Gostei bastante mas realmente não dou a nota máxima.

Apesar de tudo, é uma excelente aventura com muita emoção. Gostei do facto de se assumir mais negro que o anterior.

Abraço

Hugo disse...

Red - Desculpe pela minha falta de atenção, digitei o ano errado.

Airton - Já acertei o ano.

Fifeco - É uma questão pessoal, mas gosto mais deste filme, talvez por ter sido o primeiro da série que assisti no cinema.

Abraço

Amanda disse...

É, eu gosto mais da Arca Perdida, mas o Templo também é bem legal.

Gema disse...

Até que enfim alguém dá um 10 ao 2º. Para mim sem dúvida o melhor dos três.
Bjs

Hugo disse...

Amanda - A maioria das pessoas preferem "Os Caçadores da Arca Perdida".

Gema - Você já havia escrito sobre o filme no seu blog e concordamos totalmente neste caso.