terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Ricki and the Flash: De Volta Para Casa

Ricki and the Flash: De Volta Para Casa (Ricky and the Flash, EUA, 2015) – Nota 6,5
Direção – Jonathan Demme
Elenco – Meryl Streep, Kevin Kline, Mamie Gummer, Rick Springfield, Sebastian Stan, Nick Westrate, Hailey Gates, Audra McDonald.

Muitos anos após ter abandonado o marido Pete (Kevin Kline) e três filhos pequenos para seguir a carreira de cantora em uma banda de rock, Ricki (Meryl Streep) é obrigada a visitá-los quando a filha Julie (Mamie Gummer) entra em depressão por causa de um divórcio. 

Levando uma vida simples entre o trabalho como caixa de supermercado durante o dia e as apresentações que faz em um pequeno bar noturno, Ricki se surpreende ao encontrar o ex-marido morando em uma mansão. Ela tentará recriar um laço com a filha e com os dois filhos, sendo que um está prestes a se casar. 

Desde “Filadélfia” de 1993 que o diretor Jonathan Demme não entrega um grande filme. Neste vinte anos, ele comandou mais documentários sobre música do que filmes. Talvez o único razoável destaque neste meio tempo seja a refilmagem de “Sob o Domínio do Mal”. 

Por curiosidade, neste “Ricki and the Flash” o grande destaque é a trilha sonora, com várias músicas sendo cantadas por Meryl Streep ao lado de uma banda fictícia, porém formada por músicos profissionais, inclusive com a atriz fazendo par romântico com o roqueiro australiano Rick Springfield. 

O roteiro escrito por Diablo Cody, famosa por “Juno”, é repleto de clichês explorados em filmes familiares. 

Vale citar que a atriz Mamie Gummer é filha de Meryl Streep na vida real. 

O filme é uma simples sessão da tarde, que agrada um pouco mais por causa das músicas. 

5 comentários:

Amanda Aouad disse...

Acho que não só as músicas, mas as performances no palco com o jogo de câmera. Mas, no geral, não é grande coisa mesmo.

bjs

Pedrita disse...

adoro a streep, mas esse não vi. não ando muito animada com as comédias bobas q ela vem participando. beijos, pedrita

Hugo disse...

Amanda - Isso mesmo, as apresentações da banda são bem legais.

Pedrita - Não chega a ser uma comédia boba, está mais para um drama leve.

Bjos

Liliane de Paula disse...

Detestei esse filme.
Não queria aceita-la fazendo um papel "ridículo".
Ou eu não aceitaria aquela mãe na minha vida. Acho que é isso.
E impliquei logo de cara.
Kevin Kline sempre nota 10.

Hugo disse...

Liliane - As vezes acabamos não gostando de um filme por causa do protagonista.