domingo, 24 de janeiro de 2010

Última Parada 174

Última Parada 174 (Brasil, 2008) – Nota 7,5
Direção – Bruno Barreto
Elenco – Michel Gomes, Chris Vianna, Marcello Melo Junior, Gabriela Luiz, Anna Cotrim, Vitor Carvalho, Rodrigo dos Santos, Douglas Silva, André Ramiro.

No anos oitenta, a viciada Marisa (Chris Vianna) é expulsa da favela onde mora pelo chefe do tráfico e este fica com seu bebê chamado Alessandro. Anos depois um outro garoto chamado Sandro (Vitor Carvalho) após ver sua mãe ser assassinada, vai morar na rua com um grupo de crianças e acaba sobrevivendo ao conhecido “Massacre da Candelária”. Algum tempo depois, Sandro (agora interpretado por Michel Gomes) acaba preso num reformatório e faz amizade com Alessandro (Marcello Melo Junior) e por uma confusão de nomes e pela carência de Marisa, hoje uma religiosa fanática, acaba sendo confundido com o bebê criado pelos traficantes. Esses desencontros terminarão em outra tragédia, a do ônibus 174.

O diretor Bruno Barreto e o roteirista Bráulio Mantovani utillizaram a tragédia real do ônibus 174 para contar a história do jovem Sandro, desde a infância quando viu a mãe morrer até o final de sua vida no desastrado seqüestro, se é que pode se chamar desse nome a ação maluca da polícia e a reação do garoto.

A crítica elogia muito o documentário sobre a tragédia feito por José Padilha e por este motivo o longa acabou recebendo algumas críticas ruins na comparação. No geral o filme é muito bem contado, tentando mostrar a triste realidade da pobreza e violência no país e como estes dois temas estão ligados.

Não sei se toda a história da ligação entre os dois garotos e a mãe são verdadeiras ou aconteceram ao menos parecido com o que é mostrado no filme, porém no geral é um longa de qualidade, mesmo que tenha deixado parte da história real de lado.

11 comentários:

Red Dust disse...

É uma história muito forte. Funciona como um murro no estômago. As interpretações são bem acertadas. O cinema brasileiro está de parabéns com obras desta qualidade.

Abraço.

Mateus, O Indolente disse...

Assumo que sou um pouco preconceituoso com esse tipo de filme nacional. Não aguento mais assistir a filmes nessa mesma temática.

Abraço.
Cinema para Desocupados

Ciro Hamen disse...

A história é boa, mas esse filme não me agradou. As atuações são fracas e o roteiro bem pobre. Me depecionou.

Abraços!

Cristiano Contreiras disse...

Ainda não pude conferir, em breve!!!

eu fiquei fascinado pelo documentário, mas este filme ainda não pude ver. abs e aparece!

kah disse...

Eu vi este filme no cinema, na época de seu lançamento e gostei bastante. O filme pode ter seus problemas, mas no geral é um bom filme.

http://cinemaemdvd.blogspot.com/

Amanda Aouad disse...

Pelo documentário, não existe esse outro Sandro da ficção. Acho que foi um extra. Eu, sinceramente, achei o longa desnecessário. O documentário de Padilha já cumpre a sua função e é muito bem feito.

abraços

bruno knott disse...

Pois é Hugo, é complicado comparar este filme com Ônibus 174, afinal o documentário é praticamente uma obra-prima.

Mas é um bom filme sim!

Hugo disse...

Red - Nosso cinema melhorou muito, apesar de muitas pessoas por aqui criticarem estes filmes que mostram pobreza e violência, mas infelizmente isso faz parte de nossa realidade.

Mateus - Entendo sua posição, mas procuro assistir sem me preocupar com isso e assim considerei um filme interessante.

Ciro - Os atores escolhidos não são dos melhores, mas passam veracidade nas atitudes.

Cristiano - Eu preciso assisti ao documentário.

Kah - Concordo plenamente.

Amanda - Obrigado pela informação e como ainda não vi o documentário para comparar, ficou mais fácil gostar do filme.

Bruno - Precisa conferir.

Abraço a todos

Wally disse...

A meu ver, começa muito bom e vai aos poucos se tornando insípido. O ator final, alias, é medíocre. Mas é um filme com atributos e não merece ser apedrejado.

Nota 6.5

ps: o documentário é sensacional.

Wally disse...

O ato* final.

Hugo disse...

Wally - Preciso ver o documentário com urgência.

Abraço