segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Galante e Sanguinário

Galante e Sanguinário (3:10 to Yuma, EUA, 1957) – Nota 7,5
Direção – Delmer Daves
Elenco – Glenn Ford, Van Heflin, Felicia Farr, Richard Jaeckel, Leora Dana, Henry Jones, Robert Emhardt.

O bandido Ben Wade (Glenn Ford) e seu bando assaltam uma diligência para roubar ouro e matam o cocheiro, tudo isso a vista do fazendeiro Dan Evans (Van Heflin) e seus dois filhos pequenos. O bando segue para a cidade mais próxima e Wade acaba sendo preso, porém o xerife precisa levá-lo o mais rápido possível para a prisão em outra cidade, antes que o resto do bando volte para resgatar o chefe. Como ninguém se habilita em levar o bandido, o dono do ouro roubado (Robert Emhardt) oferece dinheiro para quem aceitar o trabalho e como fazendeiro está precisando, aceita a oferta e terá a ajuda de um bêbado (Henry Jones).

Faroeste competente dirigido pelo especialista no gênero Delmer Daves (“A Última Carroça”), que tem como destaque a interpretação de Glenn Ford como o bandido educado e ao mesmo tempo frio e calculista.

O longa foi refilmado em 2007 por James Mangold, como “Os Indomáveis”, com Russell Crowe e Christian Bale nos papéis principais e na minha opinião com resultado superior ao original.

3 comentários:

Red Dust disse...

Na minha opinião original e sequela equivalem-se, o que também não chega para serem westerns imortais. Mas são propostas interessantes.

Abraço.

Mateus, O Indolente disse...

Eu não vi o original. Vi apenas o remake e gostei bastante.

Abraço.
Cinema para Desocupados

Hugo disse...

Red - Os filmes são bons, porém gostei mais da refilmagem.

Mateus - O original tb vale a pena ser visto.

Abraços