quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Encontros ao Acaso

Encontros ao Acaso (Come Early Morning, EUA, 2006) – Nota 6
Direção – Joey Lauren Adams
Elenco – Ashley Judd, Jeffrey Donovan., Laura Prepon, Stacy Keach, Tim Blake Nelson, Scott Wilson, Diane Ladd, Par Corley, Candyce Hinkle.

Numa pequena cidade do meio-oeste americano a solteira Luce (Ashley Judd) mora com a amiga Kim (Laura Prepon do “That’s 70 Show”) e trabalha como uma espécie de supervisora de obras ao lado de Owen (o veterano Stacy Keach), tendo uma vida afetiva e familiar complicada. Ela divide seu tempo visitando os avós (Pat Corley e Diane Ladd) que estão sempre brigando e levando a outra avó, Doll (Candyce Hinkle) que vive em um asilo para passear, além de tentar se aproximar do distante e calado pai (Scott Wilson). Para tentar diminuir a solidão, ela frequenta um bar onde invariavelmente sai bêbada e com um desconhecido a tiracolo para uma noitada que sempre acaba em desilusão pela manhã, até que um dia ela conhece Cal (Jeffrey Donovan da série “Burn Notice”), que desperta nela um sentimento escondido, mas a sua dificuldade em se relacionar irá atrapalhar o romance.

Este drama diferente foi dirigido pela atriz Joey Lauren Adams (a Amy de “Procura-se Amy”, filme cult de Kevin Smith) e toca em dois pontos principais: A solidão afetiva e a dificuldade dos relacionamentos familiares, tendo na personagem de Ashley Judd a perfeita combinação de alguém que não consegue se acertar nos dois campos, deixando o roteiro a entender que esta disfunção na personalidade é fruto de uma família (pai e mãe) complicada e desfeita.

Apesar dos personagens simpáticos e reais, o resultado final é frio, assim como o desenrolar do filme.

5 comentários:

Mateus, O Indolente disse...

Oi, Hugo,

Ainda não vi esse filme, mas ele deve ser bem no perfil dos filmes independentes americanos. Ele, por sinal, foi até indicado ao Grande Prêmio do Júri em Sundance - meca do cinema independente norte-americano.

Abraço!
Cinema para Desocupados

CINECLUBE01 disse...

Opa, já coloquei o link do seu Blog no meu. Abrs colega.

Hugo disse...

Mateus - Você tem razão, é um filme independente, daqueles que tentam prender a atenção pela história simples e próxima da realidade. Pena que o resultado é apenas razoável.

Cineclub - Valeu.

Abraço

Wally disse...

Vale por passagens honestas do roteiro e pela atuação bonita de Ashley Judd.

Nota 7.0

Hugo disse...

Wally - Considero que a beleza dela está acima do talento.

Abraço