quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O Homem da Máfia

O Homem da Máfia (Killing Them Softly, EUA, 2012) – Nota 6
Direção – Andrew Dominik
Elenco – Brad Pitt, Scoot McNairy, Ben Mendelsohn, James Gandolfini, Richard Jenkins, Ray Liotta, Vincent Curatola, Trevor Long, Max Casella, Sam Shepard, Slaine.

O ladrão Frankie (Scoot McNairy) e o viciado Russell (Ben Mendelsohn) são contratados pelo picareta Johnny “Esquilo” Amato (Vincent Curatola) para assaltarem um clube de jogatina da Máfia. Como o local já fora assaltado anos atrás, Esquilo acredita que os chefões colocarão a culpa no gerente Mark (Ray Liotta), que foi o responsável por aquele assalto e acabou perdoado. A dupla de vagabundos comete o assalto e consegue fugir com o dinheiro. A organização criminosa contrata o assassino profissional Jackie (Brad Pitt) para descobrir quem são os assaltantes e assim eliminá-los. 

O diretor Andrew Dominik comandou o interessante “O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford”, longa também protagonizado por Brad Pitt e deixou boa impressão, porém neste trabalho a parceria não deu bom resultado. Como uma trama totalmente clichê, o diretor tentou chamar atenção através de diálogos engraçadinhos e de personagens excêntricos, mas infelizmente falhou. O filme ficou no meio do caminho entre uma trama policial séria e uma comédia de humor negro involuntária. 

Os destaques ficam para Brad Pitt como o cínico assassino que leva a sério a profissão e a participação do falecido James Gandolfini como outro assassino, este um sujeito depressivo, mulherengo e beberrão. 

Como curiosidade, James Gandolfini, Vincent Curatola e Max Casella trabalharam juntos na série “The Sopranos”. 

Finalizando, o título brasileiro é sacana ao utilizar o mesmo nome do antigo seriado policial dos anos oitenta, sem que o filme tenha ligação alguma. 

3 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

De acordo! Filme definível em dois termos que detesto usar, mas que cabem perfeitamente: chato e pretensioso!

Kleiton Gonçalves disse...

Gostei desse filme. Assisti logo que ficou disponível em boa qualidade para baixar. Como tb assisti a toda série Família Soprano, curti mais ainda a participação dos "convidados mafiosos". O discurso final do personagem vivido por Brad Pitt fechou com chave de ouro!

Hugo disse...

Gustavo - Com certeza, o diretor errou a mão.

Kleiton - O discurso final do Brad Pitt diz sobre a trama, mas no geral o filme é apenas razoável.

Abraço