terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Twister

Twister (Twister, EUA, 1996) – Nota 7,5
Direção – Jan de Bont
Elenco – Helen Hunt, Bill Paxton, Jami Gertz, Cary Elwes, Phillip Seymour Hoffman, Alan Ruck, Lois Smith, Todd Field, Jeremy Davies, Zach Grenier.

Quando a região de Oklahoma é atacada por vários tornados, fica a expectativa de que uma terrível tempestade esteja para ocorrer. Neste contexto, dois grupos de pesquisadores utilizam máquinas semelhantes para prever quando a tempestade chegará, porém para funcionar é necessário instalar um dispositivo dentro de um tornado, o que transforma o trabalho numa aventura maluca e extremamente perigosa. Um dos grupos é liderado pelo arrogante Dr. Jonas Miller (Cary Elwes), enquanto do outro lado o casal Jo (Helen Hunt) e Bill Harding (Bill Paxton) estão em processo de separação, mas precisam trabalhar juntos, o que causa vários conflitos. 

O holandês Jan de Bont era um renomado diretor de fotografia quando teve a chance de estrear na direção em “Velocidade Máxima”, longa com uma trama simples mas com adrenalina do início ao fim. O sucesso abriu caminho para dirigir este “Twister”, que segue o mesmo estilo, com uma trama até absurda sobre caçadores de tornados e com muito ação. O filme merecidamente fez sucesso, mas por outro lado a carreira de Jan de Bont como diretor não se firmou após fracassos retumbantes como o péssimo “Velocidade Máxima 2” e “A Casa Amaldiçoada”. 

Este “Twister” aproveita ainda a bela Helen Hunt que estava no auge da carreira na série “Mad About You” e o carisma de Bill Paxton, sem contar um quase desconhecido Philip Seymour Hoffman como coadjuvante. 

As ótimas cenas de ação recheadas de efeitos visuais (não dá para esquecer da sequência da vaca voando) e uma trilha sonora que mistura roqueiros como Van Halen e Red Hot Chilli Peppers com astros da músicas da country, são outros pontos altos deste divertido filme catástrofe.

10 comentários:

Bússola do Terror disse...

Lembro que vi esse filme, ainda em VHS, logo depois que foi lançado.
Gostei muito!

Silvia Freitas disse...

Realmente os efeitos especiais do filme são muito bons, porém achei o filme meio chato, a história do casal separado que quer voltar ao romance me pareceu água com açúcar demais.
Gde abraço!

Marcelo keiser disse...

Adoro esse filme. Também o conheci ainda em VHS.

Abraço

Hugo disse...

Léo, Silvia e Marcelo - Não sei se é verdade, mas na internet tem a informação de que este foi o primeiro filme lançado em DVD. Eu assisti também em VHS.

Abraço

Gustavo disse...

Clássico da infância. Os efeitos ainda impressionam, o som também. Pena que, como você mencionou, De Bont perdeu a mão depois. E dizem também que ele é um sujeito dificílimo de lidar.

Hugo disse...

Gustavo - O filme até concorreu ao Oscar nestas duas categorias. Realmente foi um diretor que não conseguiu se firmar.

Abraço

Sarah disse...

É um clássico, é mesmo daqueles filmes que se tiver a dar na televisão vejo sem problema algum!

Sarah
http://depoisdocinema.blogspot.pt

Sarah disse...

É um clássico, é mesmo daqueles filmes que se tiver a dar na televisão vejo sem problema algum!

Sarah
http://depoisdocinema.blogspot.pt

Sarah disse...

É um clássico, é mesmo daqueles filmes que se tiver a dar na televisão vejo sem problema algum!

Sarah
http://depoisdocinema.blogspot.pt

Hugo disse...

Sarah - É um ótima diversão sem compromisso.

Abraço