domingo, 9 de agosto de 2015

Os Olhos da Cidade São Meus

Os Olhos da Cidade São Meus (Angustia, Espanha, 1987) – Nota 6,5
Direção – Bigas Luna
Elenco – Zelda Rubinstein, Michael Lerner, Talia Paul, Ángel Jové, Clara Pastor.

O cineasta catalão Bigas Luna, falecido em 2013, ficou marcado por filmes com teor erótico como “As Idades de Lulu” e “Ovos de Ouro”, porém deixou uma estranha e assustadora contribuição para o gênero terror com este “Os Olhos da Cidade São Meus”. 

A trama tem como protagonista o auxiliar de optometrista John (Michael Lerner), um sujeito tímido e passivo que perde o emprego após a reclamação de uma paciente. Vivendo sob a sombra da mãe (Zelda Rubinstein, a anã sensitiva de “Poltergeist”), John é dominado pela terrível senhora que utiliza a hipnose para fazer o filho sair pela cidade e matar pessoas para arrancar os olhos e trazê-los para uma sinistra coleção. 

Até este ponto, o filme seria apenas um terror com uma trama doentia, porém na metade da história, o roteiro escrito pelo diretor apresenta uma surpresa que mistura ficção e realidade, deixando o longa ainda mais assustador. 

O clima estranho, as cenas de violência e o estilo da narrativa imposta por Bigas Luna, não são do tipo que agrada ao público comum. O filme foi premiado em algumas festivais, se tornou cult e é indicado apenas para o cinéfilo que gosta de experiências estranhas. 

2 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Achei esse filme difícil de aguentar. Não o veria de novo.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Realmente é um filme difícil de assistir, no mínimo estranho.

Abraço