domingo, 14 de dezembro de 2014

No Vale das Sombras

No Vale das Sombras (In the Valley of Elah, EUA, 2007) – Nota 7,5
Direção – Paul Haggis
Elenco – Tommy Lee Jones, Charlize Theron, Jason Patric, Susan Sarandon, James Franco, Barry Corbin, Josh Brolin, Frances Fisher, Jonathan Tucker, Wes Chatham, Jake McLaughlin, Mehcad Brooks, Wayne Duvall, Roman Arabia, Brent Briscoe, Brent Sexton.

Em 2004, numa pequena cidade do Missouri, vive Hank Deerfield (Tommy Lee Jones), um sargento aposentado que trabalhava como investigador no exército. Ele recebe uma ligação informando que seu filho (Jonathan Tucker) desapareceu. O rapaz que estava lutando no Iraque, retornou aos Estados Unidos e sumiu da base sem deixar vestígios. 

Hank procura os oficiais do exército e os colegas de seu filho, porém sem conseguir informações concretas sobre o desaparecimento.No alojamento da base, ele recupera o celular utilizado pelo filho para filmar várias situações complicadas no Iraque. Percebendo que alguém está escondendo a verdade, Hank decide investigar por conta própria, pedindo um pequeno auxilio à polícia local, onde encontra a detetive Emily Sanders (Charlize Theron), que a princípio não dá atenção ao caso, mas que aos poucos se envolve na busca de Hank pela verdade. 

Após vencer o Oscar com o surpreendente “Crash – No Limite”, o roteirista Paul Haggis se aventurou novamente na direção causando expectativa quanto a comprovação seu talento. Mesmo não sendo tão bom quanto “Crash”, este “No Vale das Sombras” mexe em um assunto complexo, os traumas dos jovens soldados que voltam da guerra. 

O roteiro baseado numa reportagem de Mark Boal, descreve um caso verdadeiro, consequência do envio de jovens totalmente despreparados para a guerra. A violência do combate, situação a qual pessoa alguma é poupada, a lealdade obrigatória entre os soldados e o risco de vida diário, resultam em traumas irreparáveis para a maioria dos sobreviventes. 

No elenco repleto de bons nomes, o destaque é o personagem de Tommy Lee Jones, um veterano de guerra duro que acredita nos ideais americanos, mesmo indo contra o pensamento da esposa vivida por Susan Sarandon. Charlize Theron também dá conta do recado como a detetive desprezada pelos colegas homens, que precisa mostrar seu valor. 

É um filme indicado para quem gosta de um drama sóbrio, realista e sem heroísmos.

2 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

"É um filme indicado para quem gosta de um drama sóbrio, realista e sem heroísmos."

Tipo eu! ;)

Hugo disse...

Gustavo - Também gosto deste estilo de filme.

Abraço