quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Mandy

Mandy (Mandy, EUA / Bélgica / Inglaterra, 2018) – Nota 6,5
Direção – Panos Cosmatos
Elenco – Nicolas Cage, Andrea Riseborough, Linus Roache, Ned Dennehy, Richard Brake, Bill Duke, Olwen Fouéré, Line Pillet.

Red (Nicolas Cage) e Mandy (Andrea Riseborough) levam uma vida simples em uma casa isolada no meio da floresta. 

Quando um grupo de fanáticos religiosos chega na região e o líder chamado Jeremiah (Linus Roach) fica obcecado por Mandy, tudo muda. Os seguidores de Jeremiah se unem a um sinistro grupo de motoqueiros para sequestrar Mandy. Red é torturado, porém sobrevive e inicia sua busca por vingança. 

O diretor Panos Cosmatos é filho do falecido George Pan Cosmatos, responsável por filmes como “Rambo II: A Missão” e “Tombstone”. Diferente do pai que era um diretor de filmes comerciais, Panos se mostra um sujeito com predileção para o bizarro, começando pela escolha das cores num estilo psicodélico que variam entre verde, vermelho e amarelo, além do ritmo pausado que passa a impressão de que estamos vendo um filme em câmera lenta. Os personagens sinistros e o banho de sangue que ocorre na segunda parte beiram o exagero. 

Vale destacar a atuação animalesca de Nicolas Cage, que se entrega totalmente ao personagem. Cage mostra novamente que é um bom ator, seu problema principal está na escolha de papéis em filmes ruins. 

Este “Mandy” é indicado para quem gosta de um terror extremamente violento, que lembra os filmes dos gênero dos anos oitenta.

5 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Puxa deve ser assustador
Fiquei curiosa por Nicolas Cage entregar um bom papel (o último que assisti dele foi Mãe e Pai e fiquei sem palavras de tão absurdo), mas esse negócio de banho de sangue e violência me aterroriza :(
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Marília Tasso disse...

Adorei a psicodelia do filme, viagem total!

Liliane de Paula disse...

Talvez eu não goste de Nicolas Cage por conta dos papéis ruins que ele faz.
O nome do filme até me enganou.
Não, não quero vê.
Esse não vou anotar.

Liliane de Paula disse...

Não achei na Netflix o Documentário, "O Impostor".
Tem um filme com esse nome mas com John Travolta.

Hugo disse...

Luli - É bem exagerado no sangue e na violência.

Marília - Pareceu um filme maluco demais...rs

Liliane - Com certeza é um filme que vc não iria gostar.

Bjs