domingo, 27 de janeiro de 2019

O Teorema Zero & Número 9


O Teorema Zero (The Zero Theorem, Inglaterra / Romênia / França / EUA, 2013) – Nota 5,5
Direção – Terry Gilliam
Elenco – Christoph Waltz, David Thewlis, Melanie Thierry, Matt Damon, Lucas Hedges, Tilda Swinton, Peter Stormare, Ben Whishaw, Sanjeev Bhaskar.

Em um futuro distópico, Qoehn Leth (Christoph Waltz) é um funcionário de uma corporação que trabalha com uma espécie de operador de informática. Antissocial e obsessivo em relação ao trabalho, Qoehn é convocado por seu supervisor (David Thewlis) para cumprir um determinado projeto pedido pelo administrador da corporação (Matt Damon).

Qohen terá de resolver um complexo teorema com ajuda de um jovem (Lucas Hedges), que é filho do administrador. Em paralelo, ele é desejado por uma jovem (Melanie Thierry) e faz estranhas sessões com uma psicanalista virtual (Tilda Swinton).

Por mais que a criatividade do diretor Terry Gilliam tenha rendido vários filmes malucos e interessantes, este “O Teorema Zero” passou totalmente do ponto. Não existe um objetivo no roteiro, o filme é uma sucessão de sequências bizarras em que o protagonista é pressionado pelos superiores ou participa de diálogos sem sentido com os outros coadjuvantes.

Vale destacar apenas os cenários futuristas coloridos repletos de engenhocas.

Número 9 (The Nines, EUA, 2007) – Nota 5
Direção – John August
Elenco – Ryan Reynolds, Melissa McCarthy, Hope Davis, Elle Fanning, David Denman, Octavia Spencer.

Um ator famoso (Ryan Reynolds) se envolve com drogas, sofre um acidente e termina preso. Sendo obrigado a cumprir prisão domiciliar, seu agente envia uma assistente (Melissa McCarthy) para tomar conta do maluco, que mesmo assim faz amizade com uma vizinha (Hope Davis). Esta é apenas a primeira história. Outras duas histórias interligadas em detalhes colocam os mesmos atores em papéis diferentes. 

O que a princípio parece ser um drama, na verdade com o desenrolar da trama vai se mostrando um filme bizarro e pretensioso. O roteiro escrito pelo diretor John August tenta explorar sem muito sucesso temas como mundos paralelos, religião e metafísica. Algumas sequências resultam em um humor involuntário, enquanto outras lembram adaptações de livros de autoajuda. 

A fraca atuação de Ryan Reynolds e uma Melissa McCarthy perdida longe das comédias também não ajudam. É um filme para passar longe.

6 comentários:

Pedrita disse...

eu amo filmes surreais e amei teorema zero. eu amei exatamente pq transcende. absolutamente genial e atual. pra quer ter tanto se ninguém interage realmente com ninguém? o outro não vi. https://mataharie007.blogspot.com/2016/03/teorema-zero.html

Hugo disse...

Pedrita - A ideia que vc cita é interessante, mas o filme é uma viagem maluca. rs

Bjs

Liliane de Paula disse...

"O Teorema zero", apesar de 2 bons atores, não faz meu gênero.
Não consigo gostar.

O "Numero 9" tem Ryan Reynolds que amo em quase tudo que faz mas parece que o filme tem um pegada de Comédia e eu detesto comédias.
Melissa McCarthy eu nem suporto.
Não vou anotar.
Bj,
Liliane

Hugo disse...

Liliane - Não gostei dos dois filmes.

Luli Ap disse...

Acho que vou passar os dois.
Teorema zero com diálogos sem sentido e sem roteiro definido eu não iria nem entender 😁😁
Número 9 achei interessante o plot e gosto do RR e da Melissa McCarthy, mas sou burrinha para esse treco de vidas paralelas e outras dimensões 😑😑

Hugo disse...

Luli - São filmes confusos que não valem a pena perder tempo.

Bjs