segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

No Coração da Escuridão

No Coração da Escuridão (First Reformed, EUA / Inglaterra / Austrália, 2017) – Nota 7
Direção – Paul Schrader
Elenco – Ethan Hawke, Amanda Seyfried, Cedric the Entertainer, Victoria Hill, Philip Ettinger, Michael Gaston, Bill Hoag.

Toller (Ethan Hawke) se tornou padre após um trauma pessoal acabar com seu casamento. Tomando conta de uma igreja que está prestes a comemorar duzentos e cinquenta anos, a First Reformed do título original, Toller é obrigado a lidar com situações que mexem com seu psicológico. 

Um problema de saúde, a conversa com um ativista ambiental pessimista (Philip Ettinger) que sofre ao saber que sua esposa (Amanda Seyfried) está grávida e por fim a descoberta da ligação do líder de sua igreja (Cedric the Entertainer) com um empresário envolvido em crime ambiental (Michael Gaston) o levam a uma encruzilhada. 

Paul Schrader foi sempre melhor roteirista do que diretor. Aqui ele abraça as duas funções e quase como em toda a carreira entrega um filme com boas ideias, algumas falhas e uma narrativa irregular. Ele tenta criticar ao mesmo tempo o terrorismo ecológico, as indústrias que poluem o meio ambiente e a hipocrisia de muitos líderes religiosos. 

O filme funciona nos questionamentos enfrentados pelo protagonista, que escreve um diário narrando suas angústias e dúvidas. A atuação atormentada de Ethan Hawke é um destaque. Por outro lado, a forma como o filme acaba deixa bastante a desejar. Fica a impressão de que a história não foi desenvolvida em todo seu potencial.

5 comentários:

Liliane de Paula disse...

Do Diretor não sei nada, mas Ethan Hawke é sempre muito bom.
Acho que a história tem um tema interessante.
Vou anotar, Hugo.
Bj,
Liliane

Marília Tasso disse...

Gostei bastante de tudo, somente o final mesmo que deu uma quebrada, mas me tocou e me fez refletir por dias.

Hugo disse...

Liliane - A história é interessante, apenas o final deixa a desejar.

Marília - É um filme que faz pensar.

Luli Ap disse...

Apesar de vc dizer que o fim deixou a desejar fiquei curiosa com esse mote
São vários ângulos para se refletir e não dá pra negar a importância do meio ambiente nos dias de hoje.

Hugo disse...

Luli - O tema é polêmico e interessante, mesmo com a falha citada, vale a sessão.

Bjs