domingo, 4 de novembro de 2018

O Colosso de Rodes

O Colosso de Rodes (Il Colosso di Rodi, Itália / França / Espanha, 1961) – Nota 5,5
Direção – Sergio Leone
Elenco – Rory Calhoun, Lea Massari, Georges Marchal, Conrado San Martim, Angel Aranda, Roberto Camardiel.

Dario (Rory Calhoun) é um herói militar grego que ao visitar seu tio na Ilha do Rodes é praticamente obrigado a escolher um lado no conflito entre os rebeldes liderados por Peliocles (Georges Marchal) e o exército do rei tirano Serse (Roberto Camardiel). 

Dario também se envolve com a bela Diala (Lea Massari), que é filha do criador da estátua conhecida como O Colosso de Rodes. 

Nos anos sessenta, o cinema italiano criou o gênero batizado como “western spaghetti” copiando os longas americanos, assim como fez o mesmo com os épicos. 

Entre os vários épicos italianos, este “O Colosso de Rodes” chama a atenção por ser o primeiro filme dirigido pelo grande Sergio Leone, que faria apenas mais seis filmes na carreira, todos clássicos absolutos. A única coisa que vale a sessão aqui é a curiosidade de conhecer o trabalho de Leone em um gênero diferente do western. 

O elenco recheado de canastrões, inclusive o protagonista americano Rory Calhoun, a narrativa arrastada e as cenas de batalha quase amadoras tornam as mais de duas horas de projeção extremamente cansativas. 

Se fosse apenas por este trabalho, Sergio Leone estaria esquecido. 

4 comentários:

Luli Ap disse...

Puxa esse vou passar :/
Mais de duas horas em ritmo arrastado e com interpretações sofríveis é mesmo cansativo.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Hugo disse...

Luli - É um filme que decepciona.

Bjs

Rodrigo Mendes disse...

O Único Leone que ainda não vi, mas havia lido antes que não foi o seu melhor trabalho.
Curioso. Ele que se tornou um dos maiores cineastas de todos os tempos!

Abraço.

Hugo disse...

Rodrigo - Também era o único que eu não tinha conferido. O filme é fraco, vale apenas pela curiosidade.

Abraço