segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Aniquilação

Aniquilação (Annihilation, Inglaterra / EUA, 2018) – Nota 6,5
Direção – Alex Garland
Elenco – Natalie Portman, Oscar Isaac, Jennifer Jason Leigh, Gina Rodriguez, Tuva Novotny, Tessa Thompson, David Gyasi, Benedict Wong.

Após um ano acreditando que seu marido Kane (Oscar Isaac) morreu em uma missão militar, a bióloga Lena (Natalie Portman) se surpreende ao encontrá-lo novamente em casa. 

Ele age de forma estranha e logo passa mal. Ao correr para o hospital, Lena e Kane são interceptados por agentes do governo que os levam para uma base militar. 

Lena é recebida por uma cientista (Jennifer Jason Leigh) que estuda um estranho fenômeno climático que ocorre na região e que causou o problema em Kane e em vários outros militares que desapareceram. Uma equipe com cinco mulheres é enviada para explorar o local do fenômeno. 

Depois de estrear como diretor na competente ficção “Ex-Machina”, o inglês Alex Garland volta ao gênero em um longa que tem uma história melhor do que o filme.

A dúvida sobre o que realmente está ocorrendo na primeira parte se transforma em terror nas sequências em que as mulheres exploram a região afetada pelo fenômeno, porém a narrativa é irregular, perdendo tempo em flashbacks que mostram a vida de Lena e Kane, além de entregar no final uma explicação filosófica e bizarra para o acontecimento. 

A história é baseada em um livro e por isso não sei até que ponto é fiel ao texto, mas fica claro que poderia render um ótimo filme se tivesse um foco maior na ação.

6 comentários:

Liliane de Paula disse...

Acho que vi esse filme e não gostei.

Vou rever "Doentes de amor" antes de ler sua resenha.

Hugo disse...

Liliane - O filme é apenas razoável.

Luli Ap disse...

Que pena que é irregular e com final bizarro na explicação do contexto, porque parece um bom plot.
Não conheço o livro tb
Bjs Luli

Hugo disse...

Luli - A premissa é bem legal, mas o filme apenas razoável.

Bjs

Ubiracy Júnior disse...

Filme interessante que se perder em si mesmo.
Não cheguei a ler o livro, nem sabia que existia, mas dá pra entender que o teor dele está ai com a ideia de destruir oque é existente pra criar algo novo. Pena que o filme se perde em criar um apelo visual forte em vez de solidificar o que é apresentado.

Hugo disse...

Ubiracy - A história tem um potencial bem melhor do que resultou o filme.

Abraço