domingo, 17 de junho de 2018

Conan, o Bárbaro & Conan, o Destruidor


Conan, o Bárbaro (Conan the Barbarian, EUA, 1982) – Nota 8
Direção – John Milius
Elenco – Arnold Schwarzenegger, James Earl Jones, Max Von Sydow, Sandahl Bergman, Ben Davidson, Mako, Gerry Lopez, Valerie Quennessen, William Smith.

O personagem Conan foi criado na década de trinta como uma história em quadrinhos por Robert E. Howard e quase cinqüenta anos depois foi adaptado ao cinema pelo diretor John Milius (“Amanhecer Violento”, “O Vento e o Leão”), tendo sido o primeiro papel principal de Arnold Schwarzenegger. 

A história se passa há milhares de anos em uma época indefinida e começa com Conan ainda criança testemunhando sua vila sendo invadida pelo bando do feiticeiro Thulsa Doom (James Earl Jones) e seus pais acabando assassinados. 

Já adulto, agora vivido por Schwarzenegger, Conan se une a Valeria (Sandahl Berman) e Subotai (Gerry Lopez), dois ladrões que desejam receber uma recompensa para resgatar a filha do rei (Max Von Sydow) que foi seqüestrada por Thulsa Doom. O desejo maior de Conar é vingar a morte de seus pais. 

É um ótimo filme com cenas de ação competentes e muito sangue, além de bons coadjuvantes como James Earl Jones e Max Von Sydow. Até mesmo Schwarzenegger não compromete, em virtude de fazer seu melhor tipo de personagem, o do sujeito calado e violento. 

A história foi refilmada sem sucesso em 2011 com Jason Momoa no papel principal.

Conan, o Destruidor (Conan the Destroyer, EUA, 1984) – Nota 7
Direção - Richard Fleischer
Elenco - Arnold Schwarzenegger, Grace Jones, Wilt Chamberlain, Mako, Tracey Walter, Olivia D'Abo, Sarah Douglas, Sven Ole Thorsen.

O guerreiro Conan (Arnold Schwarzenegger) aceita um desafio da rainha Taramis (Sarah Douglas) acreditando que ela possa ressuscitar sua amada. A missão de Conan é roubar um artefato mágico que somente pode ser tocado por uma virgem, no caso a princesa Jehnna (Olivia D’Abo). 

Ao lado de Conan e da princesa seguem seu escudeiro Malak (Tracey Walter) e o grandalhão Bombaata (Wilt Chamberlain). Ao enfrentar os perigos do caminho, se unem ao grupo o feiticeiro Akiro (Mako) e a selvagem Zula (Grace Jones). 

Mesmo sem o impacto e a qualidade do primeiro filme, além de inserir algumas pitadas de comédia, esta sequência ainda é um bom filme de aventura. As cenas de ação continuam violentas e bem filmadas, com destaque para a agilidade de Grace Jones e o carisma de Schwarzenegger. O falecido astro de basquete Wilt Chamberlaind teve aqui seu único trabalho no cinema e até se saiu bem nas cenas de ação. 

4 comentários:

Pedrita disse...

nossa, desencovou. da época que swazenegger ainda tinha um pouco de credibilidade. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Gosto dos filmes antigos de Schwarzenegger.

Bjos

Luli Ap disse...

Assisti há algum tempo atrás e gostei bastante.
Eu gosto muito de HQs adaptadas para as telonas e essa pegada de lendas e mitos (mitologia é minha especialização em História)
Tb gosto muito do Schwarzenegger, acho o ator versátil e convence tanto em ação como comédia!
Bjs Luli

Hugo disse...

Luli - É um astro com um carisma enorme e craque para papéis em filmes de ação.

Bjos