terça-feira, 6 de junho de 2017

As Palavras

As Palavras (The Words, EUA, 2012) – Nota 7
Direção – Brian Klugman & Lee Sternthal
Elenco – Bradley Cooper, Dennis Quaid, Jeremy Irons, Zoe Saldana, Olivia Wilde, Ben Barnes, Nora Arnezeder, J. K. Simmons, Zeljko Ivanek, Ron Rifkin, John Hannah, Michael McKean.

O famoso escritor Clay Hammond (Dennis Quaid) lê para uma plateia de fãs parte de seu novo livro de ficção que conta a vida de Rory Jansen (Bradley Cooper), um aspirante a escritor. 

O livro de Clay detalha a vida de Rory e sua esposa Dora (Zoe Saldana) desde que se casaram, passando pelas dificuldades em realizar seu sonho, até a conquista do sucesso através de um livro escrito de forma totalmente inusitada e que conta a história de amor de um casal (Ben Barnes e Nora Arzeneder) em Paris após a Segunda Guerra Mundial. No meio da história, surge um personagem importantíssimo interpretado por Jeremy Irons. 

Muitas vezes o cinema aborda histórias sobre o próprio cinema no estilo “filme dentro do filme”. O roteiro aqui foca em um “livro dentro de outro livro”. A vida do escritor interpretado por Dennis Quaid se confunde com a do protagonista de seu livro vivido por Bradley Cooper e também com o jovem americano em Paris de Ben Barnes. 

O roteiro não chega a ter grande surpresas, as histórias beiram o previsível, mesmo com um final que pode deixar dúvidas em alguns espectadores. A narrativa tenta reforçar as cenas emotivas através de uma trilha sonora dramática, deixando o longa com ar de filme antigo em alguns momentos. 

É um filme voltado para os fãs de dramas românticos e de literatura.  

4 comentários:

Marcelo Keiser disse...

Ainda quero assistir a esse filme. Baixei e não vi ainda. Em breve...

abraços



Hugo disse...

Marcelo - A história é interessante.

Liliane de Paula disse...

Mas e a personagem de Olívia Wilde? Quem é? Achei tudo enrolado.
E Jeremy Irons com a cara igual a de outros personagens que fez.

Hugo disse...

Liliane - A personagem de Olivia Wilde era uma fã do escritor vivido por Dennis Quaid que o abordou após a palestra. O que confunde é que são três histórias interligadas, sendo que duas seriam a encenação das histórias dos livros.