quinta-feira, 4 de maio de 2017

O Cerco de Jadotville

O Cerco de Jadotville (The Sidge of Jadotville, Irlanda / África do Sul, 2016) – Nota 7,5
Direção – Richie Smyth
Elenco – Jamie Dornan, Mark Strong, Jason O’Mara, Guillaume Canet, Danny Sapani, Mikael Persbrandt, Michael McElhatton, Ronan Raftery, Emmanuelle Seigner.

Em 1961, a República do Congo sofria com uma guerra civil após o general Tshombe (Danny Sapani) tomar o poder. As minas de urânio eram alvo de americanos, russos e franceses. 

Para tentar acalmar a situação, a ONU envia uma tropa com cento e cinquenta soldados irlandeses para defender um local chamado Jadotville. Os soldados liderados por Pat Quinlan (Jamie Dornan) não tinham experiência alguma em combate e nem imaginavam o que iriam enfrentar. 

Poucos dias depois de chegarem a cidade, eles são cercados pelo exército de Tshombe que tem o apoio de mercenários franceses comandados por Falques (Guillaume Canet). 

Baseado em uma história real, este longa é competente nas duas frentes que a narrativa aborda. As cenas de ação são à moda antiga, com tiroteios, explosões, dublês e muitos figurantes, tudo isso sem utilizar CGI. 

O outro ponto positivo é a própria história, que detalha os bastidores do conflito mostrando que como sempre a politicagem, a sede pelo poder e a ganância foram os estopins da violência. 

Sem entrar em grandes detalhes, vale citar que a história real veio à tona de forma verdadeira apenas muitos anos depois. 

Para quem gosta de ação com pitadas de política, este longa é uma ótima opção.

2 comentários:

Liliane de Paula disse...

O que é CGI?
Não conheço os atores.
Num filme assim a gente consegue entender o que está por trás de conflitos.
Inclusive os daqui.

Hugo disse...

Liliane - CGI são os efeitos especiais feitos por computação gráfica. Hoje na maioria dos filmes com muitos figurantes, é utilizado este recurso para "duplicar" a quantidade de pessoas em cena.