sábado, 26 de novembro de 2016

Viagem à Lua de Júpiter

Viagem à Lua de Júpiter (Europa Report, EUA, 2013) – Nota 7,5
Direção – Sebastian Cordero
Elenco – Michael Nyqvist, Sharlto Copley, Anamaria Marinca, Christian Camargo, Daniel Wu, Karolina Wydra, Embeth Davidtz, Dan Fogler, Isiah Whitlock Jr.

Uma expedição internacional é enviada para Júpiter após cientistas acreditarem que existe água embaixo do gelo que cobre aquele planeta. O grupo de astronautas é composto por quatro homens e duas mulheres. 

Tudo segue perfeito até metade do caminho, quando por algum problema a nave perde contato com a Terra. Mesmo assim, eles decidem seguir a missão sem imaginar os perigos que poderão enfrentar. 

Produzido com um baixo orçamento, esta competente ficção apresenta a maioria das cenas gravadas dentro do pequeno espaço da nave, criando uma tensão crescente de acordo com a aproximação do destino. 

O diretor equatoriano Sebastian Cordero explora uma narrativa não linear, utilizando imagens das câmeras de segurança da nave, intercaladas com depoimentos dos astronautas e das autoridades que comandavam a missão na Terra. 

A parte técnica também é destaque. Ela é extremamente clean e com interessantes variações de ângulos, além dos depoimentos em close ao estilo documentário. 

É curioso que o filme tenha sido produzido pouco tempo antes do sucesso de “Interestelar” e “Perdido em Marte”, que são melhores e que exploram temas semelhantes. O normal seria este filme ter sido produzido depois, para tentar faturar no rastro do sucesso destes blockbusters.

5 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Não há dúvidas de que é um filme com uma premissa crível, mas achei a execução muito morna, e nenhum personagem cativou. Enfim...

Cumps.

Rodrigo Mendes disse...

Não vi também. Mais um para a lista. Se não me engano tem na Netflix, enfim. Gosto da temática de exploração e depois do êxito de "Perdido em Marte" (porque quando Ridley Scott quer ele consegue) pegar carona neste sucesso é complicado, mas não impossível. É árduo trabalhar com ficção-científica, principalmente se o cara falhar na direção de arte e efeitos. De qualquer forma, preciso assistir.

Abraço.

Rodrigo Mendes disse...

P.S.: lembrei de um filme tosco "O Núcleo- Missão ao Centro da Terra", de Jon Amiel e o quanto foi vergonhoso aqueles "defeitos" especiais.

Liliane de Paula disse...

O Rodrigo diz que tem no Netflix.
Vou procurar porque preciso ter alguma curiosidade por ficção científica.
Não conheço os atores.

Breve, quando tiver, novamente, portador, vou mandar Pipocas para vc. Aceita?

Hugo disse...

Gustavo - Realmente os personagens não chamam a atenção, mas mesmo assim gostei da história e da narrativa.

Rodrigo - Este filme foi produzido antes de "Perdido em Marte" e não tem a mesma tensão e qualidade. A história é interessante e a direção de arte também é bem cuidada.

Assisti "O Núcleo". É um blockbuster vazio e nada mais.

Liliane - Acredito que tenha no Netflix. Eu até gostaria das pipocas, mas por enquanto não conheço ninguém que esteja para ir até Recife.

Abraço