quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Independence Day (1996 & 2016)


Independence Day (Independence Day, EUA, 1996) – Nota 7
Direção – Roland Emmerich
Elenco – Bill Pullman, Will Smith, Jeff Goldblum, Mary MacDonnell, Robert Loggia, Margaret Colin, Judd Hirsch, Adam Baldwin, Randy Quaid, Harvey Fierstein, James Rebhorn, Brent Spiner , James Duval, Harry Connick Jr, Lisa Jakub.

Um gigantesco objeto entra na órbita da Terra. Os sinais de tv sofrem uma grande interferência e o operador de um canal, David Levinson (Jeff Goldblum), capta um estranho sinal vindo do espaço. Ele tenta avisar o governo sem sucesso. Ao mesmo tempo, o presidente americano (Bill Pullman) está em reunião com a alta cúpula para analisar o que seria o objeto não identificado. A força aérea fica de prontidão, com destaque para o Capitão Hiller (Will Smith). As respostas não demoram a aparecer. Logo, naves alienígenas iniciam um ataque. 

Com uma enorme campanha de marketing e ótimas cenas de ação, este blockbuster se tornou um sucesso mundial utilizando o melhor que os efeitos especiais podiam oferecer na época. As grandiosas cenas de destruição de monumentos mundiais e as batalhas aéreas eram os grandes destaques, sendo o primeiro filme em que o diretor alemão Roland Emmerich mostrou seu gosto pelo exagero. 

O roteiro escrito por ele também exagera no patriotismo, incluindo o clichê das salva de palmas dos coadjuvantes e um discurso inflamado do presidente. Algumas piadas idiotas são inseridas nos diálogos, principalmente a cargo de Will Smith e do veterano Judd Hirsch, que interpreta o pai do personagem de Jeff Goldblum, mas ainda em um nível menor dos que os trabalhos posteriores do diretor. 

O resultado é um competente blockbuster.

Independence Day: O Ressurgimento (Independence Day: Resurgence, EUA, 2016) – Nota 5
Direção – Roland Emmerich
Elenco – Liam Hemsworth, Jeff Goldblum, Bill Pullman, Jessie T. Usher, Maika Monroe, Judd Hirsch, Sela Word, William Fichtner, Brent Spiner, Patrick St. Espirit, Vivica A. Fox, Angelababy, Charlotte Gainsbourg, Deobia Oparei, Nicolas Wright, Travis Topem, Chin Han, Robert Loggia.

Vinte anos após o mundo vencer a batalha contra os invasores alienígenas, os governos construíram uma base avançada na lua. Mesmo com esta precaução, uma nave alienígena ainda maior que a antiga chega à Terra causando destruição. A única chance de salvar o planeta é descobrir o ponto fraco para destruir a nave. Um grupo de pilotos é encarregado de enfrentar a ameaça. 

Nos vinte anos que separam o original desta sequência, Roland Emmerich deixou de ser visto como um diretor criativo, vide “Stargate” e o pouco conhecido “Estação 44”, para se transformar em um operário criador de blockbusters vazios. 

Chega a ser inacreditável a ruindade dos diálogos nesta sequência. Os jovens personagens soltam piadas idiotas em vários momentos. Jeff Goldblum tenta dar alguma dignidade a seu personagem, enquanto o ex-presidente de Bill Pullman se transforma de um idoso confuso em herói, como se fosse um milagre.

No máximo, a geração que curte games poderá achar legal as cenas de ação. Ao resto do público, resta fugir desta bomba. 

3 comentários:

Liliane de Paula disse...

O filme de 1996 eu vi e na ocasião gostei.
Essa nova versão não vi.

Vou vê, Desencanto, no Youtube como vc, informou.

Hugo disse...

Liliane - A de 1996 é bem legal. A sequência é uma bomba.

Gustavo H. Razera disse...

Emmerich está ficando fora de sintonia com as plateias. Acho que o último filme dele realmente decente foi O Patriota (embora não tenha visto Anônimo). Esse novo Independence Day é um fiasco.

Cumps.