segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A Conexão Francesa

A Conexão Francesa (La French, França / Bélgica, 2014) – Nota 7,5
Direção – Cedric Jimenez
Elenco – Jean Dujardin, Gilles Lellouche, Celine Salette, Melanie Doutey, Benoit Magimel.

Marselha, 1975. O juiz da vara de adolescentes Pierre Michel (Jean Dujardin) é transferido para ser o responsável pelo combate ao crime organizado na cidade. 

Michel se une a polícia para criar uma força-tarefa com o objetivo de derrubar a organização criminosa conhecida com “La French” e comandada com mão de ferro por Gaetan “Tany” Zampa (Gilles Lellouche). A disputa entre Michel e Tany se estenderá por alguns anos, resultando em violência e perdas de vidas dos dois lados. 

Baseado livremente numa história real, este competente longa foca o outro lado da história do clássico “Operação França” de William Friedkin. O longa americano mostrava a investigação de dois policiais que tentavam desbaratar a ramificação da quadrilha francesa em Nova York. 

Aqui, a trama mostra como o lado francês tentou enfrentar a mesma organização criminosa que tinha como principal ocupação a produção e o tráfico de heroína para os Estados Unidos nos anos setenta. 

Hoje é curioso saber que a cidade de Marselha era a grande produtora de drogas que abastecia os Estados Unidos antes da América Latina tomar este posto nos anos oitenta. 

O filme tem uma narrativa que prende a atenção, mesmo com alguns pulos no tempo. As cenas de ação e violência são bem filmadas, assim como as traições e pequenas reviravoltas comuns ao gênero. 

O destaque do elenco fica para o obcecado juiz interpretado por Jean Dujardin, que passa toda a angústia nos momentos de crise no casamento por causa de seu trabalho e em outras situações a dureza necessária para enfrentar um inimigo cruel.

2 comentários:

Liliane de Paula disse...

Acho que não ia gostar.
Nem lembro dos atores.

Estou vendo um Documentário sobre Robert Altman, que gravei num dos canais da Sky.

Hugo disse...

Liliane - É um filme policial, indicado para quem gosta do gênero.

Este doc sobre Altman eu não assisti.