segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Simplesmente Feliz

Simplesmente Feliz (Happy-Go-Luck, Inglaterra, 2008) – Nota 7,5
Direção – Mike Leigh
Elenco – Sally Hawkins, Alexis Zegerman, Eddie Marsan, Kate O’Flynn, Andrea Riseborough, Samuel Roukin, Nonso Anozie.

Poppy (Sally Hawkins) é uma professora primária de trinta anos que divide um apartamento com a amiga Zoe (Alexis Zegerman), que também é professora. Solteira e com experiência de ter trabalhado em países pobre como voluntária, Poppy trata a todos com alegria e simpatia. 

Com um temperamento expansivo, ao mesmo tempo em que ela é querida por muitos por passar alegria, acaba incomodando algumas pessoas, principalmente aquelas que se sentem infelizes por algum motivo. O maior exemplo é a estranha relação que cria com o estressado professor de auto escola Scott (Eddie Marsan), sujeito cheio de ódio que não consegue expressar um mísero sentimento de alegria. 

O diretor inglês Mike Leigh é especialista em filmes sobre pessoas comuns. Ele ficou famoso com o premiado drama “Segredos e Mentiras” e depois fez outros bons filmes como “Agora ou Nunca” e “O Segredo de Vera Drake”. Aqui, o foco do roteiro de Leigh é mostrar como é difícil para uma pessoa otimista demonstrar felicidade no mundo atual onde a infelicidade parece ser contagiosa. 

Algumas sequências são quase surreais, como a cena inicial em que Poppy tenta puxar conversa com um sisudo atendente de livraria e a sequência em que ela procura dar atenção a um morador de rua maluco. A visita de Poppy a casa de sua irmã é outro exemplo de como a felicidade e o espírito livre incomodam pessoas infelizes. 

A trama original é valorizada pela belíssima interpretação de Sally Hawkins, que na época era praticamente desconhecida fora da Inglaterra e que merecidamente recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz. 

É um filme que faz o espectador pensar em como o mundo seria melhor se a maioria das pessoas tivessem um pouco da alegria de Poppy.

5 comentários:

Liliane de Paula disse...

Segredos e Mentiras, eu vi na TV.
Muito bom.

Bruxa do 203 disse...

Lembro que vi quando estreou no cinema e gostei. Já está na hora de assistir novamente.

Hugo disse...

Liliane - Este "Simplesmente Feliz" é mais leve, mesmo tendo algumas situações com pitadas de drama.

Bruxa - É um bom filme.

Abraço

Gustavo H. Razera disse...

Sally Hawkins carrega o filme, mas a maior revelação foi Edde Marsan... Hilário e perigoso ao mesmo tempo!

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Sem dúvida, Eddie Marsan está engraçado e assustador ao mesmo tempo.

Abraço