sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Os Amigos de Eddie Coyle

Os Amigos de Eddie Coyle (The Friends of Eddie Coyle, EUA, 1973) – Nota 7
Direção – Peter Yates
Elenco – Robert Mitchum, Peter Boyle, Richard Jordan, Steven Keats, Alex Rocco, Joe Santos, Mitchell Ryan, James Tolkan.

Eddie “Fingers” Coyle (Robert Mitchum) é um pequeno vigarista que está prestes a ser condenado por ter sido detido dirigindo um caminhão cheio de mercadorias roubadas. Com cinquenta anos de idade, mais esposa e filhos para cuidar, Eddie sabe que se for preso a vida de sua família se transformará em pesadelo. 

Para tentar se livrar da cadeia, ele aceita trabalhar como informante para um policial (Richard Jordan). Eddie negocia a compra de um lote de armas para uma gangue de assaltantes de banco, mas seu verdadeiro plano é entregar o traficante de armas e os ladrões para o policial como pagamento por sua liberdade. 

O diretor inglês Peter Yates ficou famoso pela clássica perseguição de automóveis em “Bullitt”, sequência que criou um estilo e que se transformou quase que obrigatória nos filmes do gênero. Apesar de ter dirigido alguns filmes interessantes, como este que comento aqui, Yates  jamais conseguiu alcançar sucesso semelhante a “Bullitt”. 

O longa aqui tem uma boa história e um protagonista que passa longe de ser um herói ou durão, mesmo tendo sido interpretado pelo astro Robert Mitchum, especialista em vilões. O título é quase uma ironia, pois ninguém é amigo de ninguém na história. Cada um defende seu lado e o pobre Eddie se torna um peão na mãos do policial e de outro informante interpretado por Peter Boyle. 

O filme peca um pouco pela narrativa lenta, mas vale como curiosidade para quem gosta dos longas policiais dos anos setenta.

3 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Também achei o filme um tanto lento - e não muito interessante, visualmente.

Cumps.

Bússola do Terror disse...

Oi!
Tô passando pra dar os parabéns pelo aniversário do blog!
Até mais!

Hugo disse...

Gustavo - Tem a estética dos anos setenta e realmente envelheceu também em relação ao ritmo.

Léo - Obrigado! São 8 anos de blog!

Abraço