quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Joy: O Nome do Sucesso

Joy: O Nome do Sucesso (Joy, EUA, 2015) – Nota 7
Direção – David O. Russell
Elenco – Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Bradley Cooper, Edgar Ramirez, Isabella Rossellini, Diane Ladd, Virginia Madsen, Elisabeth Rohm, Dascha Polanco, Jimmy Jean Louis.

Desde a infância, Joy (Jennifer Lawrence) ouve de sua avó Mimi (Diane Ladd) que ela está predestinada para o sucesso. Na vida adulta, a criatividade de Joy demonstrada na infância se torna apenas uma forma de resolver problemas da complicada família. 

A chance de mudar de vida surge quando ela inventa um novo modelo de esfregão. A jovem se joga na empreitada de vender o produto, mas não imagina a verdadeira saga repleta de obstáculos que terá de enfrentar. 

Baseado livremente numa história real, este longa é com certeza o trabalho mais excêntrico do diretor David O. Russell, que sempre flertou com o exagero em sua carreira, vide “Trapaça”, os diálogos malucos de “O Lado Bom da Vida” e até a divertida aventura “Três Reis”. 

A proposta funciona até certo ponto, sendo necessário o espectador comprar a ideia e aceitar as situações que lembram até mesmo um conto de fadas e assim se divertir e até se emocionar em alguns momentos. 

O exagero se reflete nos personagens. A mãe interpretada por Virginia Madsen passa o dia vendo novelas na tv, o pai de Robert De Niro e a madrasta de Isabella Rossellini são lobos em pele de cordeiro e a irmã vivida por Elisabeth Rohm é a inveja em pessoa. 

Temos ainda dois personagens que parecem saídos de contos de fadas. O ex-marido interpretado por Edgar Ramirez é o príncipe imperfeito que se torna mais amigo do amante e a avô de Diane Ladd é a narradora da vida da protagonista. 

É um filme interessante, exagerado e diferente, que vale a sessão para quem gosta do estilo do diretor.

6 comentários:

Liliane de Paula disse...

Vi a propaganda desse filme, quando estava viajando, em dezembro/janeiro.
Gosto dos atores.
Parece uma boa história.

Pedrita disse...

quero ver. beijos, pedrita

Marília Tasso disse...

Tenho preguiça da Jennifer Lawrence rsrs
Um filme que realmente gostei dela interpretando foi "Inverno da Alma".
Abraços!

Ana Leonilia disse...

Está aí um filme que tenho curiosidade de assistir; mas não curto muito cenas exageradas. Lembro que com "O Lado Bom da Vida" eu gostei razoavelmente. Porém, darei uma chance a esse; pelo o humor e talento da Lawrence; embora ainda a ache uma atriz superestimada.

Bjs ;)

Hugo disse...

Liliane e Pedrita - É um filme diferente e interessante.

Marília - Este que vc citou eu ainda não assisti.

Ana - Eu considero "O Lado Bom da Vida" melhor e menos exagerado do que este. Não sei se vc irá gostar.

Bjos

Pedrita disse...

eu não gosto da complementação do nome no brasil. mas eu acho que a família disfuncional deve ser assim mesmo. e por isso ela era tão atrapalhada.