segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Spotlight: Segredos Revelados

Spotlight: Segredos Revelados (Spotlight, EUA, 2015) – Nota 8,5
Direção – Tom McCarthy
Elenco – Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, Liev Schreiber, John Slattery, Brian D’Arcy James, Stanley Tucci, Billy Crudup, Jamey Sheridan, Neal Huff, Paul Guylfoyle.

Em meados de 2001, o judeu Martin Baron (Liev Schreiber) assume como editor chefe do jornal The Boston Globe e logo se interessa pelo caso de um padre da cidade acusado de pedofilia e que muitos acreditam tenha sido acobertado pela Igreja Católica. 

Baron pede que o caso seja investigado pela equipe Spotlight, especialista em reportagens complexas sobre temas polêmicos. A equipe é composta pelo editor Walter Robinson (Michael Keaton) e os repórteres Mike Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Carroll (Brian D’Arcy James). 

O que a princípio parece ser um caso isolado, se torna uma bola de neve conforme os jornalistas se aprofundam na história, principalmente após encontrarem o estranho Phil Saviano (Neal Huff), um sujeito que fora abusado por um padre quando criança e que dedicou sua vida a colher provas sobre pedofilia na Igreja. As informações de Saviano levam os jornalistas a desvendar o maior escândalo da história contemporânea da Igreja Católica. 

Não espere cenas de suspense, perseguições ou algo do gênero, o foco aqui é a investigação jornalística que costura um emaranhado de pistas para construir uma sinistra história que envolveu a alta cúpula da Igreja Católica, advogados, policiais, autoridades e outras figuras poderosas de Boston que por anos fecharam os olhos para os crimes de um grande número de padres. 

O estilo da narrativa lembra o ótimo “Zodíaco” de David Fincher, que tinha o mesmo Mark Ruffalo entre os protagonistas. Se aquela história jamais teve uma solução, aqui a investigação jornalística derrubou um verdadeiro castelo de cartas. 

É um ótimo filme, que aparentemente é simples no estilo e nos enquadramentos, mas que tem uma história extremamente forte que poderá levá-lo a uma vitória no Oscar.

6 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

É uma história importante, concordo, mas achei blasé demais sua execução.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Gosto deste tipo de filme com trama sobre investigação e baseado em história real.

Abraço

Marília Tasso disse...

Tava com dúvidas em assistir esse filme, mas lendo sobre pensei melhor e irei vê-lo.

Hugo disse...

Marília - O filme é um exemplo como se fazer bom jornalismo, coisa rara nos dias atuais.

Até mais

Pedrita disse...

esse filme é muito desconcertante. uma importante denúncia de crimes, conivência e hipocrisia religiosa. incrível como essa matéria passou a desmontar crimes no mundo todo como mostram as listas ao final. e passaram a escancarar as mentiras da igreja e a imundície de esconder e ainda permitir mais crimes só transferindo os padres de igrejas. almodóvar foi abusado por um padre na infância. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - As autoridades da Igreja que tentavam esconder os padres pedófilos são tão culpados quanto.

Bjos