domingo, 24 de janeiro de 2016

Creed: Nascido Para Lutar

Creed: Nascido Para Lutar (Creed, EUA, 2015) – Nota 8
Direção – Ryan Coogler
Elenco – Michael B. Jordan, Sylvester Stallone, Tessa Thompson, Phylicia Rashad, Tony Bellew, Ritchie Coster, Wood Harris.

Após passar por vários lares adotivos e reformatórios, o adolescente Adonis Johnson é localizado por Mary Anne Creed (Phylicia Rashad) e descobre ser filho ilegítimo do falecido campeão de boxe Apollo Creed. 

Anos depois, adulto, formado e trabalhando, Adonis (Michael B. Jordan) sonha em se tornar boxeador como o pai que ele jamais conheceu. Para tristeza de Mary Anne, Adonis abandona tudo para se dedicar ao boxe. Ele segue para Filadélfia com objetivo de convencer o antigo campeão Rocky Balboa (Sylvester Stallone) para treiná-lo. 

O diretor e roteirista Ryan Coogler chamou a atenção do público com o drama “Fruitvale Station”, quer tinha o mesmo Michael B. Jordan como protagonista. O sucesso do longa independente abriu caminho para Coogler emplacar esta sequência da franquia Rocky, colocando o velho personagem como coadjuvante. 

A premissa é simples, Coogler utiliza o personagem Adonis como uma última chance para Rocky sentir o calor do ringue, mesmo estando do lado de fora das cordas. Ao mesmo tempo, é como se fosse uma passagem de bastão de mestre para aluno, algo parecido com que o personagem Mickey interpretado por Burgess Meredith fez com Rocky nos dois primeiros filmes da série. 

É interessante também a forma como a câmera de Coogler capta as lutas. Com planos fechados, quase cara a cara com os boxeadores, o espectador fica com a sensação de que está assistindo o combate na primeira fila. 

Longe de apresentar surpresas, o filme ganha pontos pela simplicidade da trama e das emoções, tanto na vida pessoal dos personagens, como nas violentas lutas. 

O filme já rendeu um Globo de Ouro de Ator Coadjuvante para Stallone e tem grandes chances de levar o Oscar neste categoria, o que seria uma bela homenagem ao ator e ao personagem.

4 comentários:

Amanda Aouad disse...

O filme empolga mesmo, as cenas das lutas são muito bem orquestradas. Como você disse uma ideia simples e bem feita.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Os melhores filmes da série Rocky foram os que exploraram a simplicidade dos personagens.

Bjos

Gustavo H. Razera disse...

Um filme empolgante e com belas doses de interação entre personagens cativantes.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Sem dúvida é um filme empolgante.

Abraço