terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Barco Sem Rumo & O Velho e o Mar


Barco Sem Rumo (Seven Waves Away, EUA, 1957) – Nota 8
Direção – Richard Sale
Elenco – Tyrone Power, Mai Zetterling, Lloyd Nolan, Stephen Boyd.

Um luxuoso transatlântico naufraga e apenas vinte e sete pessoas entre passageiros e tripulantes conseguem escapar em um bote salva-vidas, com um detalhe, o bote tem capacidade apenas para nove pessoas. Alguns sobreviventes estão feridos, entre eles o capitão do navio, que passa o comando do bote para seu auxiliar Alec (Tyrone Power), que deve racionar comida e água, além de manter a ordem no pequeno barco. 

Quando um dos sobreviventes (Lloyd Nolan) percebe que uma tempestade está se aproximando, ele diz para Alec que o barco não suportará a tormenta com aquela quantidade de pessoas. A partir daí, Alec é obrigado a decidir quem deverá ser jogado ao mar para salvar a vida dos outros. 

Este ótimo misto de drama com suspense lembra o clássico “Um Barco e Nove Destinos” dirigido por Alfred Hitchcock em 1944. Assim como naquele filme, aqui a trama explora as fraquezas do ser humano no momento em que este se sente pressionado. As discussões para decidir quem vive e quem morre são tensas, a princípio atingindo os feridos e os doentes, mas com o passar do tempo os conflitos aumentam por causa da escassez de água e comida, fazendo valer a lei do mais forte. 

É interessante também a discussão sobre quem merece viver de acordo com a importância da pessoa em relação ao seu trabalho. No barco estão pessoas famosas como um físico e uma cantora de ópera, mas também um vigarista e os tripulantes. 

É um ótimo filme que prende a atenção pelo suspense e tensão e também pela análise do comportamento humano.

O Velho e o Mar (The Old Man and the Sea, EUA, 1958) – Nota 6,5
Direção – John Sturges
Elenco – Spencer Tracy, Felipe Pazos.

Um velho pescador cubano (Spencer Tracy), sofre há alguns meses pela dificuldade em pescar grandes peixes. Tratado como piada por outros pescadores, o velho vê sua chance de mudar a história quando consegue fisgar um enorme peixe. Este é o início da luta do velho para vencer a força do peixe, como uma espécie de metáfora de vida, onde ele precisa vencer também as dificuldades da idade e da solidão. Enquanto luta para trazer o peixe para ilha, ele relembra e narra em off sua história de vida. 

Baseado num famoso livro de Ernest Hemingway, este longa tem uma bela fotografia e uma ótima interpretação de Spencer Tracy, porém a narrativa é um pouco cansativa. 

Existe outra versão da história filmada para tv em 1990 com Anthony Quinn no papel principal.

4 comentários:

Pedrita disse...

barco sem rumo é impressionante. vi há uns poucos anos. o outro não vi. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Realmente "Barco Sem Rumo" é um ótimo filme, muito parecido com "Um Barco e Nove Destinos".

Bjos

Gustavo H. Razera disse...

O Velho e o Mar é um bocadinho decepcionante. Aquele peixão duro de borracha é tosco demais e tira a gente da magia do filme.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Realmente o peixe é tosco. Mas devemos levar em contar a época em que o filme foi produzido.

Abraço