sábado, 12 de dezembro de 2015

Álbum de Família

Álbum de Família (August: Osage County, EUA, 2013) – Nota 7
Direção – John Wells
Elenco – Meryl Streep, Julia Roberts, Chris Cooper, Ewan McGregor, Margo Martindale, Sam Shepard, Dermot Mulroney, Juliette Lewis, Julianne Nicholson, Abigail Breslin, Benedict Cumberbatch, Misty Upham.

Beverly (Sam Shepard) e Violet (Meryl Streep) estão casados há décadas e vivem em uma bela casa numa área rural de Oklahoma, porém o relacionamento é péssimo. Beverly é um professor aposentado e escritor que passa os dias bebendo, enquanto Violet é uma mulher amargurada, viciada em pílulas e que sofre com câncer na língua. Quando Beverly desaparece sem deixar pistas, as três filhas do casal vão ao encontro da mãe, dando inicio a uma sucessão de conflitos que trazem á tona as frustrações e os traumas familiares. 

Dramas familiares é tema comum ao cinema, mas poucas vezes foram expostos em diálogos tão cruéis e cheios de mágoas entre parentes como neste longa. A matriarca vivida por Meryl Streep é um poço de mágoas, que destila suas frustrações no marido e nas filhas sem pudor. Sua filha mais velha vivida por Julia Roberts também tem uma personalidade forte e aos poucos percebe como está ficando parecida com a mãe, fato que detona seu casamento com o personagem de Ewan McGregor e o relacionamento com a filha adolescente Abigail Breslin. 

A irmã do meio vivida por Julianne Nicholson é tímida, solteira e não tem coragem de enfrentar a mãe. A mais nova interpretada por Juliette Lewis é sonhadora e ingênua. Temos ainda o casal de tios (Chris Cooper e Margo Martindale) e o filho inseguro (Benedict Cumberbatch). 

Não é um grande filme, mas incomoda por retratar uma família onde as frustrações são mais fortes do que o parentesco e ainda deixa claro que os sentimentos dos pais em relação ao casamento geram nos filhos consequências que eles carregarão a vida inteira.   

6 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Grande elenco, filme morno. É isso que dá um roteiro forte trabalhado por um diretor sem expressão.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Realmente faltou um diretor mais talentoso.

Abraço

Amanda Aouad disse...

Sim, não é um grande filme, mas tem momentos fortes, na mão de outro diretor viraria um clássico.

bjs

Hugo disse...

Amanda - A história é forte e poderia ter sido bem melhor conduzida.

Bjos

Emerson disse...

O ponto forte do filme são as atuações, devido ao ótimo elenco!
Realmente com outro diretor, o filme poderia ser muito melhor!!!

Abraço!

Hugo disse...

Emerson - Isso mesmo.

Abraço