terça-feira, 29 de setembro de 2015

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (Jurassic Park, EUA, 1993) – Nota 10
Direção – Steven Spielberg
Elenco – Sam Neill, Laura Dern, Jeff Goldblum, Richard Attenborough, Bob Peck, Samuel L. Jackson, Martin Ferrero, Wayne Knight, B. D. Wong, Miguel Sandoval, Ariana Richards, Joseph Mazzello.

De forma secreta, o milionário John Hammond (Richard Attenborogouh) financiou uma equipe de cientistas que conseguiu criar novos dinossauros através do DNA encontrado intacto em âmbares de milhares de anos. 

Para divulgar ao mundo sua experiência, Hammond convida algumas pessoas para visitarem uma ilha isolada próxima da Costa Rica. Os convidados são três cientistas (Sam Neill, Laura Dern e Jeff Goldblum), além de seus dois netinhos (Ariana Richards e Joseph Mazzello). 

A surpresa inicial dos convidados ao verem enormes dinossauros herbívoros soltos pela ilha e outros carnívoros e perigosos presos em um zoológico, se transforma terror quando um funcionário (Wayne Knight) desliga os mecanismos de segurança para roubar algumas espécimes e acaba soltando todos os animais. 

No mesmo ano em que lançou o premiado drama “A Lista de Schindler”, Spielberg comandou este sensacional longa que hoje tem a mesma importância de “Tubarão” em relação a história do cinema. O filme dos anos setenta foi o primeiro blockbuster, numa época que esta palavra sequer era utilizada, dando início a era dos filmes-pipoca. 

Quando “Jurassic Park” foi lançado, o espectador foi brindado com uma revolução nos efeitos especiais ao ver dinossauros dos mais variados tipos que pareciam de verdade. A obra mudou o conceito dos filmes de ação e provou que a tecnologia quando aliada a um bom roteiro e atores e diretores competentes se torna uma ótima ferramenta para o gênero. 

Muitos dos elementos de “Tubarão” são utilizados novamente por Spielberg, como as sequências de suspense que antecedem os ataques dos dinossauros. São segundos em que o espectador fica agarrado a poltrona, tão assustado quanto os personagens dentro da tela. 

A diferença principal está no orçamento, se em “Tubarão” Spielberg precisou esconder o animal por quase todo o filme por falta de dinheiro, aqui ele pode criar um número enorme cenas de ação com os diversos dinossauros. São inesquecíveis o verdadeiro “terremoto” criado pelos passos do Tiranossauro Rex e a corrida desenfreada dos Velociraptores. 

É sem dúvida um dos grandes filmes da história do cinema.   

8 comentários:

Pedrita disse...

eu me diverti muito com esse filme beijos, pedrita

Gustavo H. Razera disse...

Acho que, com mais de 20 anos de distância do lançamento, podemos confortavelmente referir ao filme como sendo um clássico jovem. A versatilidade do diretor é espantosa.

Cumps.

Ana Leonilia disse...

É um filme muito bom. Toda vez que revejo é como se estivesse assistindo pela primeira vez.
Quero conferir também "Jurassic World".

Bjs ;)

Hugo disse...

Pedrita - É uma diversão de primeira qualidade.

Gustavo - Com certeza, já se tornou um clássico.

Ana - Ainda não assisti o novo filme também.

Abraço

Bússola do Terror disse...

Eu me lembro na época (início dos anos 90) de como os dinossauros entraram na mídia por causa do filme. Era brinquedo de dinossauro, revista de dinossauro, nos programas de entrevista tinham sempre convidados pra falar de dinossauro...rs
Mas gostei desse 1º filme. Melhor do que as continuações.

Hugo disse...

Léo - Realmente foi uma overdose sobre dinossauros na época.

Amanda Aouad disse...

Uau! Um dez, rs. Isso é algo raro aqui, heim? Acho que o filme é impactante mesmo para época, mas não me pegou a esse ponto. Mas, a cena da primeira aparição do T-Rex é inesquecível.

Hugo disse...

Amanda - Realmente são os poucos que dou nota 10. Vc meu uma ideia. Quando tiver tempo, farei uma postagem sobre os filmes nota 10.

Bjos