domingo, 28 de junho de 2015

Meu Filho, Olha o Que Fizeste

Meu Filho, Olha o Que Fizeste (My Son, My Son, What Have Ye Done, EUA / Alemanha, 2009) – Nota 6
Direção – Werner Herzog
Elenco – Michael Shannon, Willem Dafoe, Chloe Sevigny, Udo Kier, Michael Peña, Grace Zabriskie, Brad Dourif, Irma P. Hall, Loretta Devine.

Em San Diego na Califórnia, o desajustado Brad (Michael Shannon) assassina a mãe (Grace Zabriskie) e se refugia armado em sua casa, aparentemente com dois reféns. A polícia é chamada e dois detetives (Willem Dafoe e Michael Peña) tentam a princípio negociar com o sujeito. Logo, chegam ao local a noiva do homem (Chloe Sevigny) e o diretor de teatro (Udo Kier) que o comandava em uma peça. Os dos contam aos detetives como Brad enlouqueceu no último ano, após voltar de uma viagem ao Peru. 

Baseado em uma absurda história real, os malucos Werner Herzog (direção) e David Lynch (produção) entregam um filme estranho, com uma narrativa arrastada e vários momentos cansativos. 

A narrativa intercala o cerco policial com flashbacks que mostram o processo de enlouquecimento do personagem principal e sua fixação com a mãe dominadora, que aumenta após ele protagonizar uma peça de teatro baseada numa tragédia grega. 

Alguns pontos comuns a filmografia de Herzog estão aqui, como o personagem com problemas emocionais e a disputa do homem com a natureza, mostradas nas belas sequências na floresta peruana, local que Herzog adora e onde filmou "Fitzcarraldo" e "Aguirre - A Cólera dos Deuses.

O filme ganha pontos pela assustadora interpretação de Michael Shannon como o sujeito desequilibrado. Seu rosto duro e sua voz estranha são perfeitas para o papel. 

Vale destacar ainda Grace Zabriskie repetindo pela enésima vez o papel de mãe maluca e Brad Dourif como o excêntrico tio do personagem principal. 

4 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Um filme bizarro.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - Bizarro é a perfeita definição.

Abraço

Marília Tasso disse...

Michael Shannon é magnífico e arrasa interpretando esses tipos de personagens, nunca vou me esquecer de "Bug", que no Brasil tem o pavoroso título "Possuídos" rs

Hugo disse...

Concordo, Michael Shannon já provou ser um dos grandes atores dos últimos anos, principalmente para personagens estranhos.

Também assisti "Bug", que é ainda mais louco que este filme que comentei aqui.

Abraço