terça-feira, 30 de junho de 2015

Livrai-nos do Mal

Livrai-nos do Mal (Deliver Us From Evil, EUA, 2014) – Nota 7
Direção – Scott Derrickson
Elenco – Eric Bana, Edgar Ramirez, Olivia Munn, Joel McHale, Chris Coy, Dorian Missick, Sean Harris, Lulu Wilson, Olivia Horton.

Trabalhando no turno da noite, o detetive Ralph Sarchie (Eric Bana) e seu parceiro Butler (Joel McHale) atendem a um chamado em que um ex-soldado (Chris Coy) agrediu sua esposa sem motivo. O sujeito totalmente descontrolado é levado em custódia. Na noite seguinte, outros dois chamados aleatórios, o primeiro no zoológico e o segundo na casa de uma família, resultam em situações sem explicação. 

Após entrar em cena um padre rebelde (Edgar Ramirez), que tem amizade com uma das pessoas envolvidas nos incidentes, o detetive Sarchie percebe que algo fora do normal está ocorrendo e que ele e sua família poderão ser afetados. 

Especialista em filmes de terror e suspense, o diretor Scott Derrickson volta ao gênero neste competente longa que mistura uma trama policial com pitadas do clássico “O Exorcista”. Mesmo sendo um pouco inferior a “O Exorcismo de Emily Rose” e “A Entidade”, outros trabalhos do diretor que seguem o mesmo estilo, este “Livrai-nos do Mal” prende a atenção do espectador pelo clima sinistro, com a maioria das cenas filmadas a noite e através do bom roteiro, que amarra de forma inteligente a trama, até o assustador final, mesmo que um pouco exagerado. 

O longa perde pontos nas fracas atuações de Eric Bana e Edgar Ramirez. O único destaque do elenco fica para Joel McHale, que tem boas tiradas e se torna o alívio cômico da pesada história. 

O curioso é que o filme é inspirado em um suposto fato real ocorrido em 2013, descrito pelo verdadeiro detetive Sarchie.  

3 comentários:

Pedrita disse...

esse filme é bem sofrível. e eu achei q o eric bana não se convenceu do personagem. acho q o pior foi ter tentado dizer q é baseado em uma história real, qd na verdd parece mais um marketing do ex-policial para conseguir clientes. beijos, pedrita
falei aqui http://mataharie007.blogspot.com.br/2015/06/livrai-me-do-mal.html

Gustavo H. Razera disse...

Também achei inferior aos outros dois longas de horror do diretor, mas não chega a ser ruim. E foi bizarro ver o zoeiro McHale num filme deste tipo.

Cumps.

Hugo disse...

Pedrita - Não achei o filme ruim, mas concordo quanto a história. Com certeza a trama foi modificada para o filme e até que ponto ela é verdadeira, nunca saberemos.

Gustavo - Até que foi uma sacada curioso colocar Joel McHale como uma espécie de alivio cômico.

Abraço