terça-feira, 9 de junho de 2015

Kingsman: Serviço Secreto

Kingsman: Serviço Secreto (Kingsman: The Secret Service, Inglaterra, 2014) – Nota 8
Direção – Matthew Vaughn
Elenco – Colin Firth, Taron Egerton, Mark Strong, Samuel L. Jackson, Michael Caine, Sofia Boutella, Jack Davenport, Mark Hamill, Geoff Bell.

Em 1997, o agente Harry Hart (Colin Firth), que trabalha para uma organização governamental secreta, tem a vida salva por outro agente que morre durante uma missão. Dezessete anos depois, mais um agente é assassinado, abrindo nova vaga na organização. Cada agente veterano indica um novato que passará por testes para disputar a vaga. Harry indica o filho do amigo que faleceu na missão de 1997, o jovem rebelde Eggsy (Taron Egerton). Ao mesmo tempo, Harry investiga o milionário Richmond Valentine (Samuel L. Jackson), suspeito de estar por trás de uma conspiração. 

O inglês Matthew Vaughn está entre os melhores diretores/roteiristas que surgiram na última década, sendo especialista em filmes de ação que misturam aventura, fantasia e cultura pop. 

No ótimo “Kick-Ass”, ele subverteu as premissas dos filmes de super heróis criando uma trama em que pessoas comuns, sem poderes especiais, se fantasiam de heróis para defenderem a cidade dos criminosos, que por seu lado também criam personagens. 

Neste também ótimo “Kingsman”, Vaughn vira novamente a premissa de ponta cabeça, desta vez utilizando personagens comuns de filmes de espionagem, para criar sequências de ação semelhantes aos longas de super heróis. É como se ele transformasse 007 em protagonista de um filme de super herói. 

Para ajudar na brincadeira, vale destacar Colin Firth perfeito como agente almofadinha, Mark Strong como o “professor” dos novatos e Samuel L. Jackson se divertindo no papel do vilão. 

É o tipo de filme que o espectador precisa aceitar o estilo, mesmo sendo um pouco exagerado, para se divertir com a trama, os diálogos e as sequências de ação.  

3 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Também acho, se a pessoa não entrar no espírito da brincadeira vai achar tudo apenas bobo e ridículo. No mais, outro acerto de Vaughn.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - É uma brincadeira divertida.

Abraço

Pedrita disse...

é divertido, mas tem umas forçadas desnecessárias. a final então totalmente suprimível. eu estava incomoda com a cena do firth matando todo mundo, mas a explicação me convenceu. vai ser difícil segurar um 2 sem a moça dos pés de faca e sem o firth. beijos, pedrita